Tamanho do texto

Data será 23 de novembro, mas muitas empresas optam por espalhar as ofertas por todo o mês, buscando pulverizar as vendas e atrair clientes

A Black Friday de 2018 deve movimentar mais de R$ 2 bilhões na economia brasileira
shutterstock
A Black Friday de 2018 deve movimentar mais de R$ 2 bilhões na economia brasileira

O mês de novembro chegou e a Black Friday, sexta-feira em que promoções dominam o mercado de muitos segmentos, está chegando. A data já é adotada no Brasil desde 2010 e, em 2018, está marcada para o dia 23 deste mês. No entanto, algumas empresas estendem o período pelos 30 dias de novembro. 

Leia também: Ofertas da Black Friday 2018 podem ajudar a renovar itens da casa

Em rápida pesquisa pela internet, é possível ver uma série de empresas que, no Brasil, aplicam descontos em muitos produtos por todo o mês, no chamado Black November . Outras marcas preferem seguir o modelo mais tradicional e guardam os descontos para a Black Friday .

Os comerciantes que optam pela extensão durante os 30 dias do mês buscam atrair mais clientes, desconcentrar as vendas na data da Black Friday propriamente dita e, assim, atrair mais consumidores ao longo do penúltimo mês do ano.

No total, a Black Friday deve movimentar R$ 2,87 bilhões neste ano (16% a mais que em 2017), segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), mas, ainda assim, a data é vista com receio por parte dos consumidores. Pelo menos 37% dos pesquisados apontaram a falta de confiança nas promoções como principal entrave para não aproveitarem os descontos.

Nos últimos anos, aproveitando a introdução dessa cultura no Brasil, algumas empresas adotaram descontos falsos , que induziam o consumidor a comprar com a sensação de estar pagando um preço muito mais baixo que o real do produto, quando, na verdade, o valor original nunca havia sido aquele que a empresa mostrava como preço original.

Para coibir essas práticas, foi criada, em 2014, a campanha Black Friday de Verdade, iniciativa da Proxy Media, empresa especializada em soluções digitais, que, em sua quinta edição, tem o objetivo de auxiliar os consumidores a aproveitarem os descontos oferecidos pelas lojas e realizarem boas compras, com reais descontos, que fogem da chamada Black Fraude que caracterizou algumas empresas.

Uma série de ações foram desenvolvidas, como o termo de compromisso que as lojas assinam, a extensão no navegador Google Chrome para monitorar as ofertas e uma premiação que reconhece as lojas com boas práticas, sorteando R$ 10 mil para os clientes que se cadastrarem na plataforma.

Grandes marcas do comércio eletrônico brasileiro participam da campanha, como Magazine Luiza, Hope, Giuliana Flores, Avianca, Sephora, Petz e muitas outras. Os consumidores que realizarem cadastro receberão as ofertas dessas lojas e conseguirão economizar sabendo que o desconto é real.

Nos quatro anos de campanha, mais de um milhão de consumidores se cadastraram pelo site e receberam as ofertas selecionadas pela equipe da campanha. Na prática, a iniciativa incentiva as boas práticas do lojista, como a implementação de descontos de verdade e a melhor comunicação com o consumidor e também leva o cadastrado a pesquisar os preços e se prevenir.

Leia também: Comércio eletrônico brasileiro deve movimentar R$ 2,87 bi na Black Friday 2018

Como se preparar para a Black Friday?

Pesquisar antes de comprar é uma das principais dicas para a Black Friday, mas também deve acompanhar o consumidor após a data
shutterstock
Pesquisar antes de comprar é uma das principais dicas para a Black Friday, mas também deve acompanhar o consumidor após a data

Malu Tolentino, Head Comercial do Méliuz, empresa que devolve aos clientes parte do valor gasto em compras (cashback), fez uma lista com dicas para um consumo consciente:

  • Confira se a loja oferece recompensas

Diversas lojas oferecem benefícios nas compras. Amazon, Americanas, Netshoes e Saraiva são alguns dos e-commerces que trabalham com recompensas em dinheiro, pelo Méliuz, devolvendo parte do valor pago pelos produtos. O site e aplicativo do Méliuz reúne mais de 1.600 lojas confiáveis que devolvem até 50% do valor pago pelo produto, gratuitamente.

  • Liste suas prioridades

O primeiro passo é listar os produtos desejados. Anotar o que pretende comprar e as lojas em que os itens estão disponíveis é essencial para que, na ocasião da Black Friday, o consumidor consiga priorizar os itens mais importantes e não se esqueça de comprar nada.

  • Planeje-se financeiramente

As diversas promoções da data podem instigar o consumidor a comprar além do limite do orçamento. Ficar de olho no planejamento bancário, controlar o saldo e saber quais são os limites são algumas dicas para evitar complicações.

  • Confira se o site é seguro

Quando o assunto é segurança, independentemente do pagamento ser efetuado com cartão de crédito ou boleto bancário, o ideal é sempre verificar a legitimidade do site de compras. O Procon, órgão público de defesa do consumidor, atualiza uma lista de lojas não recomendadas.

  • Entenda os valores do frete

O objetivo de comprar durante o período da Black Friday é aproveitar todas as promoções que o mercado tem a oferecer. Entretanto, existem comércios que escondem o desconto do produto no valor que será pago pelo frete, prática conhecida como maquiagem de preços. Consumidores desatentos podem cair no golpe e acabar pagando o preço integral do produto sem perceber.

Organizar as contas, pesquisar e não comprar por impulso são a chave do sucesso na busca pelas ofertas que mais beneficiem, de fato, o consumidor.

Leia também: Black Friday faz comércio eletrônico faturar R$ 2,1 bilhões, diz pesquisa

Black Friday como oportunidade para comprar dólar a preço mais baixo

Black Friday pode ser também uma oportunidade para comprar dólar e outras moedas estrangeiras a baixo custo
shutterstock
Black Friday pode ser também uma oportunidade para comprar dólar e outras moedas estrangeiras a baixo custo

Um levantamento realizado pela Pay Pal em parceria com a Big Data Corp durante a Black Friday de 2017, juntamente com marcas de e-commerce brasileiras, apurou que o turismo ficou entre os cinco setores que praticaram maior percentual de desconto no período da promoção.

Os produtos que tiveram maior desconto foram: brinquedos (58%), eletro-eletrônicos (36,36%), roupas e acessórios (21,38%), enquanto o mercado turístico, foco do estudo, ofertou com preços 20,34% mais baixos do que a média. 

A empresa de câmbio Ourominas promete repetir a Black Week entre 19 e 23 de fevereiro, derrubando os preços de algumas das principais moedas estrangeiras: dólar, euro e libra. É possível participar pelo site, pela central telefônica ou em lojas físicas, que podem ser consultadas no site.

Leia também: Reclamações na Black Friday voltam a subir após dois anos de queda

A Black Friday oferece, em diversas áreas, ofertas impressionantes e outras mais modestas. Para os especialistas, o ideal é analisar cada cenário, ver os preços em empresas concorrentes quando possível e saber o que é buscado antes de começar a navegar (ou ir à loja física), evitando gastos que não são essenciais. Acima de tudo, ter organização e cautela na hora de comprar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.