Dólar chega a bater os R$ 5,32 e Ibovespa cai, com riscos externos e locais
Luiza Eiterer
Dólar chega a bater os R$ 5,32 e Ibovespa cai, com riscos externos e locais

Após aprovação da PEC do estado de emergência  no Senado, vista como eleitoreira por especialistas , o dólar voltou a bater R$ 5,33 na manhã desta sexta-feira (1º). O patamar do câmbio é o mais alto desde fevereiro de 2021. 

No início daquele mês, a moeda americana chegou a operar a R$ 5,3228 no dia 07 para fechar em R$ 5,2531. 

Entre no canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

No dia 4 de fevereiro, foi alcançado o patamar de R$ 5,3507 durante o pregão para a divisa fechar em R$ 5,3206.

O Ibovespa cai 0,65%, com 97.898 pontos. Menor pontuação desde outubro de 2021. 

"Estamos vendo uma queda das bolsas lá fora ligada ao receio de recessão nos EUA. No front doméstico, nós também temos componentes negativos, através do risco fiscal, com os receios sobre quanto vai custar para os cofres públicos essa tentativa do presidente Jair Bolsonaro de melhorar a sua popularidade", destaca o diretor da FB Capital, Fernando Bergallo.

Ibovespa abre 2º semestre em baixa

Após um início de ano animador, o Ibovespa, principal índice do mercado de ações brasileiro, sucumbiu as pressões externas e fechou o primeiro semestre em baixa . A lista de motivos não é nada modesta. Pressões inflacionárias seguidas de altas nos juros, aqui e lá fora, risco de recessão global cada vez maior e o imbróglio fiscal agravado ontem com a  aprovação no Senado da PEC Eleitoral que cria estado de emergência para permitir aumento de gastos públicos pelo governo Bolsonaro a menos de três meses das eleições, são alguns dos fatores que prejudicaram o desempenho da Bolsa de São Paulo, a B3, na primeira metade de 2022.

O Ibovespa fechou o semestre com baixa de 5,99%, voltando a retrair numa primeira metade de ano pela primeira vez desde 2020, no auge da pandemia. As perdas foram intensificadas em junho, quando o principal índice da B3 despencou 11,50%, o pior desempenho para um mês desde março de 2020, o mês em que a Covid-19 se espalhou pelo país.

Com informações de Agência O GLOBO.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários