Bolsonaro diz que preços dos combustíveis estão altos no mundo todo
Marcelo Camargo/Agência Brasil - 26/04/2022
Bolsonaro diz que preços dos combustíveis estão altos no mundo todo

Após a demissão do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque,  o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que os preços dos combustíveis estão altos no mundo todo. A exoneração de Bento Albuquerque foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (11). O economista Adolfo Sachsida assume o posto.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia

Em conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro evitou comentar sobre a saída de Bento Albuquerque da pasta. Porém, voltou a culpar as medidas sanitárias de contenção da Covid-19 e governadores e prefeitos pela inflação. Disse que as pessoas o acusam "injustamente" de ser o responsável pelo aumento dos preços.

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação oficial do país,  acumula alta de 12,13% no acumulado nos últimos 12 meses, segundo dados divulgados nesta quarta pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A alta é puxada, principalmente, pela escalada nos preços dos combustíveis. Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço do litro do diesel subiu 55,1% em um ano, enquanto o da gasolina aumentou 31,4%.

"O custo de vida no mundo todo, alimento, combustível, tudo subiu de preço. O Brasil foi um dos países que menos subiu o preço das coisas", declarou Jair Bolsonaro.

O presidente também questionou uma apoiadora sobre o preço da gasolina no Canadá. Depois, também perguntou sobre o preço da carne no país.

Bolsonaro disse que a crise acontece no mundo todo. "Acabei de conversar com brasileiro que está na Inglaterra e ele falou do custo de vida lá. Inclusive, hábitos alimentares foram mudados".

O chefe do Executivo também aproveitou a ocasião para criticar a decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal),  em suspender trecho do decreto que reduzia as alíquotas do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para indústrias da Zona Franca de Manaus.

O ato presidencial elevou de 25% para até 35% a redução linear do imposto sobre produtos industrializados.

"Quando cortei IPI, por exemplo, ia subir muita coisa, veículos, motocicletas, linha branca. Não quer dizer que o IPI fez baixar o preço, mas não subiu. Infelizmente, o Supremo derrubou —STF não, Alexandre de Moraes — parte do [decreto do] IPI", alfinetou Bolsonaro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários