Reprodução: iG Minas Gerais
"Precisava de alguém mais profissional na Petrobras", diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta segunda-feira (11) a substituição no comando da Petrobras e criticou a comunicação da empresa. Segundo ele, a companhia comandada pelo general Joaquim Silva e Luna precisava de alguém "mais profissional". 

"Eu não quero entrar nesse detalhe. Eu indico pro conselho a sua admissão e demissão. Eu acho que a gente precisava de... Um dos motivos principais é alguém mais profissional lá dentro para poder dar transparência. A Petrobras não usa seu marketing, ela não fala", afirmou o presidente em uma entrevista a um podcast.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

Silva e Luna substituiu Roberto Castello Branco, que também entrou na mira do presidente após sucessivos reajustes no preço dos combustíveis. Luna antes geria a Itaipu binacional e foi elogiado por Bolsonaro pela condução de "forma ímpar, combatendo desvios e colocando-a no rumo da prosperidade". 

Em ano eleitoral, a inflação tem sido uma "pedra no sapato" de Bolsonaro, e um dos puxadores do índice é o preço dos combustíveis. Sobre sua responsabilidade na escalada dos preços, Bolsonaro voltou a dizer que "não apita nada" na Petrobras.

"O que eu falei para vocês aqui, era para a Petrobras estar falando. Fica no meu colo. Tudo cai no meu colo na questão da Petrobras. Eu não apito nada e cai no meu colo", argumentou.

Leia Também

Substituição

Luna sairá da empresa nesta quarta, dia 13 de abril, quando está marcada a assembleia do conselho acionistas. 

O governo definiu a indicação de Marcio Andrade Weber , que já é conselheiro da estatal, para assumir a presidência do Conselho de Administração. Além dele o governo definiu o substituto de Luna,  José Mauro Ferreira.

“Ele foi funcionário da Petrobras, é muito respeitado, vai continuar com o trabalho que estava fazendo”,  disse Luna sobre Weber em entrevista ao jornal Valor. Já sobre Ferreira, o presidente da Petrobras classificou a indicação como “grande acerto”, pois o executivo tem “conhecimento na área de óleo e gás, é pessoa de fácil trato, e vai se encaixar bem”.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários