Lula se encontra com a ministra espanhola Yolanda Díaz para discutir revisão da reforma trabalhista
Ricardo Stuckert
Lula se encontra com a ministra espanhola Yolanda Díaz para discutir revisão da reforma trabalhista

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu nesta quarta-feira (30) com a vice-presidente da Espanha, e ministra do Trabalho e Economia Social, Yolanda Díaz , que veio ao Brasil debater o tema da contrarreforma trabalhista que ocorreu no país com Lula e centrais sindicais.

A reforma trabalhista espanhola foi feita pelo governo conservador de Mariano Rajoy. Na época, o parlamento espanhol pretendia reduzir a burocracia trabalhista e baratear contratações. O objetivo do governo era aumentar o número de contratações, mas oferecendo um salário reduzido.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

Atualmente, a taxa de desemprego atingiu 14,5% na Espanha, uma das altas da União Europeia. O país também se comprometeu com a Zona do Euro a melhorar os índices trabalhistas.

Ainda em janeiro, Lula disse que os brasileiros deveriam "acompanhar de perto" o que está acontecendo com a reforma trabalhista na Espanha, que anunciou a revogação do texto aprovado em 2012, após o aumento da taxa de desemprego no país. Segundo Lula, o presidente espanhol Pedro Sánchez estaria "trabalhando para recuperar direitos dos trabalhadores".

É a terceira reunião sobre o processo espanhol de revisão da reforma trabalhista da qual Lula participa. O ex-presidente já tinha se reunido com a ministra em Madri, em novembro, e feito uma reunião virtual com autoridades do governo espanhol em janeiro.

Leia Também

O líder das pesquisas eleitorais considera que o texto aprovado em 2017 por Michel Temer  “dinamitou”  direitos dos trabalhadores e afirmou que pretende revogar a PEC para criar empregos com qualificação no país. 

Antes da reforma trabalhista, o Brasil tinha 12,7 milhões de desempregados, dois anos e meio depois, o número recuou para 12,4 milhões. A pandemia diminuiu o impacto da medida, mas na visão do ex-presidente, só melhorar o quantitativo não basta. 

O ex-presidente Lula também conversou com a ministra sobre os aplicativos cooperativos de transporte e entregas de Araraquara, apoiado pela prefeitura da cidade.


** Luís Felipe Granado é repórter do Brasil Econômico, editoria de Economia do Portal iG, e pesquisador na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários