Linhas de transmissão de energia em Brasília
Daniel Marenco / Agência O Globo
Linhas de transmissão de energia em Brasília



Uma ação do PDT no STF (Supremo Tribunal Federal) pede a derrubada da Medida Provisória (MP) assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que prevê a privatização da Eletrobras . O recurso enviado na última sexta-feira (26) questiona a utilização da MP, que tem força de lei, para 'controlar a agenda legislativa'.

A ação foi sorteada ao ministro Kassio Nunes Marques, que chegou ao posto por indicação de Bolsonaro. O partido argumenta que a privatização da Eletrobras não é questão de urgência a ponto de se pedir uma MP, visto que elas têm força de lei no momento em que são publicadas no Diário Oficial da União.

Você viu?

"O presidente da República adotou a MP nº 1.031/2021 não para atender à urgência qualificada que é pressuposto de validade dessa espécie legislativa […], mas para controlar a agenda do Poder Legislativo, subvertendo o poder que lhe é inerente e, assim, configurando expediente ilegítimo e ofensivo à dignidade democrática do Poder Legislativo", apontou o partido.

Leia também:

A sigla alega que a proposta viola a obrigatoriedade de licitações para delegação de serviços públicos, além de questionar novas outorgas de concessão de geração de energia elétrica sob controle da Eletrobras.

A MP enviada por Bolsonaro  é a segunda tentativa do governo de privatizar a Eletrobras. No ano passado, o Planalto enviou um projeto de lei, mas o texto não foi pautado no Congresso sob a presidência de Rodrigo Maia . O ex-presidente Michel Temer (2016-2018) também tentou a desestatização por MP e projeto de lei , mas não conseguiu. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários