Paulo Guedes
Reprodução YouTube
Ministro Paulo Guedes voltou a defender o teto de gastos

Nesta terça (1), o ministro da Economia,  Paulo Guedes, disse que eliminar o teto de gastos hoje seria como “tacar fogo no país”. Para ele, essa discussão não deve ser feita agora, porque a dívida do Brasil está prestes a chegar a 100% do  PIB (Produto Interno Bruto).

Guedes fez a fala em comissão mista do Congresso, que trata sobre a Covid-19. “Em economia, a ordem dos fatores altera o produto: se você tira o teto primeiro, bota fogo no país”, disse. “Depois de recuperado o controle do Orçamento, aí podemos falar sobre o teto”, afirmou o ministro.

O teto de gastos  foi criado em 2016, durante o governo de Michel Temer, e limita o crescimento do total das despesas públicas à variação da inflação no ano anterior.

O governo não pode fazer cortes nos chamados gastos obrigatórios – como aposentadorias e salários –, então o ajuste fiscal acaba sendo feito nas despesas discricionárias, que serão de R$ 92 bilhões em 2021.

“Com o teto de gastos, como as despesas correntes estão crescendo o tempo inteiro, quem paga o pato são os investimentos públicos, que estão em queda há 25 anos. Os investimentos chegaram a ser 15% do PIB, e hoje estão em 1,5%, 1%. Os investimentos públicos federais são 0,6% do PIB. Se nós triplicarmos, não é nada. É 1 número ainda muito baixo”, afirmou Guedes.

    Veja Também

      Mostrar mais