Tamanho do texto

Rubem Novaes assume a presidência do Banco do Brasil, Joaquim Levy o BNDES e Pedro Guimarães a Caixa Econômica Federal; acompanhe ao vivo

Bolsonaro e Guedes participam, na manhã desta segunda-feira (7), da cerimônia de posse dos novos presidentes de instituições econômicas brasileiras
SERGIO LIMA / AFP
Bolsonaro e Guedes participam, na manhã desta segunda-feira (7), da cerimônia de posse dos novos presidentes de instituições econômicas brasileiras


O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, participam, na manhã desta segunda-feira (7), da posse dos novos presidentes de instituições financeiras brasileiras. Para a cerimônia, Guedes e Bolsonaro estão reunidos no Palácio do Planalto, em Brasília.

Leia também: Com discurso sobre corrupção e reforma da Previdência, Guedes assume ministério

 Além de Guedes e Bolsonaro , estão presentes Rubem Novaes, o novo presidente do Banco do Brasil (BB), Joaquim Levy, que assumirá o comando do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e Pedro Guimarães, que ficará com o cargo na Caixa Econômica Federal.

Acompanhe, ao vivo, a cerimônia, transmitida pela TV Nacional do Brasil (NBR) através do YouTube:




Em seu discurso, o novo ministro ressalta que essas instituições financeiras são como "lubrificantes" para a economia brasileira e fala na importância de cada um desses bancos.

Ele afirma, no entanto, que o "dirigismo econômico (influência do governo nos setores econômicos para conseguir articular interesses próprios) corrompeu a política brasileira e travou o crescimento da economia".  "

Houve transferência de renda em falcatruas, para alianças políticas, para ajudar amigos do rei, empresários que chegam perto do poder econômico", declarou. Para ele, os bancos públicos se perderam "em associações com piratas privados, políticos corruptos e algumas criaturas do pântano"

Paulo Guedes , ressaltou que os brasileiros estão cansados do "desvirtuamento das funções públicas usando a máquina de crédito do Estado" e que, por isso, as caixas pretas desses bancos precisam ser abertas.

Bolsonaro afirmou, nesta segunda-feira (7), em sua conta no Twitter, que "com poucos dias de governo, não só a  caixa-preta do BNDES , mas [também] de outros órgãos", está sendo levantada e será divulgada. Ele disse ainda que “muitos contratos foram desfeitos e serão expostos”. 

"Como o de R$ 44 milhões para criar criptomoeda indígena que foi barrado pela ministra [de Mulheres, Família e Direitos Humanos] Damares [Alves] e outros”, exemplificou.

Quanto a Caixa Econômica Federal , Guedes disse que a instituição "foi alvo de saques, fraudes, e assaltos ao dinheiro público. Isso ficará óbvio mais à frente, na medida que essas caixas pretas forem analisadas".

Além de Guedes, Bolsonaro discursa e fala em confiança na equipe escolhida

Guedes e Bolsonaro ressaltaram a importância da abertura das
Valter Campanato/Agência Brasil
Guedes e Bolsonaro ressaltaram a importância da abertura das "caixas pretas" das instituições financeiras


Durante a cerimônia, o presidente Bolsonaro ressaltou a confiança que sente por sua equipe econômica . Ele disse que todo o "escalão" das instituições financeiras foi escolhido "sem qualquer interferência política", já que isso não "dá certo" dentro do cenário econômico.

"Se vocês estão aqui, é porque acredito nos senhores e porque acredito no nosso Brasil", declarou, fazendo referência à nova equipe, aos ministros e aos militares das Forças Armadas que, segundo ele, "passam a ter seu valor reconhecido".

O novo presidente também afirmou que, com a economia do País nos trilhos, há "mais empregos, o índice de violência diminuirá e a satisfação se fará presente junto ao nosso povo. Nós começaremos a viver dias melhores no Brasil."

Segundo ele, haverá transparência nos contratos. Bolsonaro também fez críticas à imprensa: disse que os veículos de comunicação tem sido parciais e que não receberão mais verbas publicitárias privilegiadas. Apesar das críticas, ele reafirmou a importância da mídia em uma democracia e disse esperar que ela seja "mais forte e isenta".

Bolsonaro também declarou que sua gestão não pode errar. "Se errarmos, vocês sabem quem poderá voltar [em referência aos governos anteriores, do Partido dos Trabalhadores]. As pessoas de bem, que foram a maioria, não poderão se decepcionar conosco", concluiu.

Conheça os novos presidentes do Banco do Brasil, Caixa e BNDES

Além de Guedes e Bolsonaro, Joaquim Levy, Rubem Novaes e Pedro Guimarães estão presentes na cerimônia de posse
Agência Brasil
Além de Guedes e Bolsonaro, Joaquim Levy, Rubem Novaes e Pedro Guimarães estão presentes na cerimônia de posse


Joaquim Levy , BNDES : Economista, estava na diretoria do Banco Mundial, em Washington (EUA), antes de aceitar a presidência do BNDES. Foi ministro da Fazenda no governo de Dilma Rousseff (PT) e secretário do Tesouro Nacional no governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Também já atuou como diretor da Bradesco Asset Management, uma gestora de investimentos.

Pedro Guimarães , Caixa Econômica Federal : Atual sócio-diretor do banco Brasil Plural, grupo financeiro fundado em 2009 que atua no mercado de capitais, Guimarães é PhD em Economia pela Universidade de Rochester (EUA). Escreveu uma tese sobre o processo de privatização no Brasil.

Leia também: Os 27 nomes que compõem a equipe econômica de Paulo Guedes

Rubem Novaes , Banco do Brasil : Ex-diretor do BNDES, Novaes é PhD em Economia pela Universidade de Chicago (EUA), onde também estudou Paulo Guedes, e já foi presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e professor da FGV.

Guedes e Bolsonaro , durante a cerimônia, ressaltaram a confiança nessa nova equipe e nos rumos que o Brasil pode tomar a partir dela.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas