Tamanho do texto

Ministro também disse que Brasil deve anunciar acordo comercial com a Argentina dentro de um mês

Paulo Guedes
Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Paulo Guedes defende que empresas fiquem fora da contribuição para a capitalização


Exigir contribuição de empresas na capitalização , como quer o relator do texto da reforma da Previdência , vai gerar o desemprego entre jovens, afirmou o ministro da Economia Paulo Guedes , durante audiência pública na Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmra dos Deputados. 

"Pode colocar (encargo sobre as empresas e capitalização ), mas começa a ter desemprego entre os jovens também". disse o ministro.

Leia também: Relator da Previdência pede adesão de governadores à reforma

Samuel Moreira (PSDB-SP), relator da Previdência na Comissão Especial, defende que o empregador também pague para a aposentadoria do trabalhador no novo regime previdenciário.

Além do debate sobre a reforma, Guedes disse que nas próximas quatro semanas é possível que o governo anuncie um acordo comercial com a Argentina. O ministro também espera avanços nas negociações entre Mercosul e União Europeia, cujas conversas se arrastam há cerca de duas décadas.

Leia também: Governadores deveriam pressionar para ficar na nova Previdência, diz secretário

"Nós quando entramos dissemos que não queríamos ficar só conversando. Alguém que conversa 20 anos com você e não faz nada não quer fazer negócio", afirmou o ministro, que disse ter sido “relativamente duro” nessas negociações.

Leia também: Déficit da Previdência dos estados vai quadruplicar até 2060, aponta Senado

Numa tentativa de apresentar um projeto para a economia do país, o ministro ressaltou que planeja acelerar as privatizações, além de evitar novas contratações no serviço público, deixando o assunto da capitalização em segundo plano na discussão.