Tamanho do texto

Fábio Carvalho pagará R$ 100 mil pela gigante da comunicação; empresário é proprietário de rede de lojas e assumirá dívidas que somam R$ 1,6 bilhão

Cade aprovou venda do Grupo Abril por valor simbólico
Reprodução
Cade aprovou venda do Grupo Abril por valor simbólico

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições a venda do Grupo Abril ao empresário Fábio Carvalho, dono da rede de lojas Casa & Video e Leader, sediada no Rio de Janeiro, pelo valor simbólico de R$ 100 mil.

Leia também: Seu carro é de São Paulo? IPVA vence hoje para veículos com placa de final 1

A superintendência-geral do órgão, em análise, concluiu que a operação “não tem o condão de causar prejuízos à concorrência nos mercados de atuação das partes no Brasil", aprovando a venda da Abril ao empresário. O parecer foi assinado nesta terça-feira (8) por Alexandre Cordeiro Macedo, superintendente-geral, que afirma que a decisão é final e não depende da avaliação do plenário do conselho.

O Grupo Abril, que atua no ramo de comércio de revistas, livros e publicações e as empresas de Fábio Carvalho operam setores diferentes. O parecer do Cade aponta que o negócio "não levanta grandes preocupações no que diz respeito à defesa da concorrência."

A Abril tem uma dívida de R$ 1,6 bilhão e entrou com  pedido de recuperação judicial em agosto do ano passado. Dois terços do montante são com as instituições financeiras Itaú, Bradesco e Santander.

Outros 5,6% são referentes a  dívidas trabalhistas , que incluem débitos com jornalistas, pessoal administrativo, gráficos e outros profissionais. O percentual equivale a R$ 90 milhões.

A empresa informa que vai quitar integralmente as dívidas trabalhistas que se enquadrem no perfil que vai até o limite de 250 salários mínimos por pessoa (R$ 238,5 mil). O débito deve ser pago ao longo de 12 meses após a aprovação do plano de recuperação. Os funcionários cuja indenização supere esse patamar, no entanto, receberiam só 8% do valor total, em parcelas mensais durante até 18 anos.

Para viabilizar a compra, o empresário tem o suporte da Enforce e do BTG Pactual, e negocia para reduzir o valor da dívida com os bancos. Ele tem histórico de atuação na recuperação de empresas pela consultoria Alvarez & Marsal, onde trabalhava. A companhia aérea Varig está entre os destaques da carreira do futuro presidente do grupo.

Leia também: Justiça aceita pedido de recuperação da Saraiva, endividada em R$ 675 milhões

Fábio Carvalho deve assumir em fevereiro como presidente-executivo do Grupo Abril , para buscar iniciar a recuperação financeira e retomar o crescimento.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas