Adolfo Sachida, ministro de Minas e Energia, em um posto de gasolina de Brasília
Reprodução
Adolfo Sachida, ministro de Minas e Energia, em um posto de gasolina de Brasília

O presidente Jair Bolsonaro prometeu que faria da  gasolina brasileira a "mais barata do mundo", fora dos países autossuficientes em petróleo. Apesar das tentativas de teto no ICMS dos combustíveis e redução do imposto federal, a gasolina no país ainda é a 52ªmais cara do mundo, segundo levantamento da plataforma de descontos CUPONATION.

Uma pesquisa realizada anualmente pela companhia internacional de dados Numbeo apontou nesta semana que o Brasil ocupa atualmente a 52ª colocação no ranking do litro da gasolina mais cara do mundo, com a população precisando desembolsar cerca de R$6,78 a cada 1L. Valor desafiador e desanimador para grande parte dos brasileiros, o litro cresce de forma exponencial nos últimos meses; e o segundo semestre do ano parece seguir no mesmo ritmo.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

O próprio CUPONATION já tinha divulgado esse mesmo estudo em 2021 apontando que em janeiro do ano passado o Brasil aparecia no ranking dos 100 países com o litro de gasolina mais barata do mundo, ocupando na época a 71ª posição da lista ao cobrar cerca de R$4.45 pelo combustível - ou seja, o preço do litro subiu por volta de 52,35% durante um período de 1 ano e 6 meses.

Com 100 países participantes do levantamento, o território de Hong Kong é o que pertence por mais um ano no topo do ranking, com os cidadãos pagando em média R$14,52 pelo litro do combustível. Finlândia e Alemanha são as nações que ocupam o segundo e terceiro lugares do estudo, cobrando R$12,17 e R$11,98, respectivamente, pelo mesmo litro. Confira o ranking completo na pesquisa do CUPONATION.

Indo ainda mais além e filtrando esse ranking para a visualização de países da América Latina, o CUPONATION registrou que o Brasil possui o segundo litro de gasolina mais caro do território, ficando atrás somente do Uruguai, que cobra R$9,47. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários