Mesmo com redução, gasolina acumula alta de 42% no governo Bolsonaro
Ivonete Dainese
Mesmo com redução, gasolina acumula alta de 42% no governo Bolsonaro

Mesmo com a redução no preço da gasolina, motivada pelo corte de tributos federais e  pelo teto do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), o combustível acumula alta de 42% sob a gestão do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) mostram que o litro da gasolina custava, em média, R$ 4,27 em janeiro de 2019. Já em julho deste ano, o valor médio do combustível chegou a R$ 6,07, de acordo com levantamento obtido entre os dias 10 e 16 deste mês.

Os números levam em conta o valor nominal da gasolina, isto é, não consideram a inflação acumulada no período. Se descontar a inflação medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o combustível acumula alta de 35% entre janeiro de 2019 e junho de 2022. 

O cálculo, no entanto, não considera  a redução de R$ 0,20 por litro da gasolina nas refinarias , anunciada nesta semana pela Petrobras e que entra em vigor nesta quarta-feira (20). Além disso, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) ainda não divulgou informações sobre a inflação de julho.

Bolsonaro tem atribuído essa queda à troca de comando da Petrobras. Ontem, em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, o presidente disse acreditar que "a Petrobras vai achar seu rumo agora, (com um) novo presidente".

"Vai começar a dar boa notícia para a gente", afirmou.

O indicato do governo para chefiar a estatal é Caio Paes de Andrade, que assumiu no mês passado. Ele é o quarto executivo à frente da empresa no atual governo.

Apesar da declaração de Bolsonaro, ao anunciar a redução de R$ 0,20 no preço da gasolina, a Petrobras disse que essa acompanhava a estabilização da cotação do petróleo no mercado internacional, que registrou baixa nos últimos dias.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários