Consignado: começa o assédio sobre beneficiários do Auxílio Brasil
Divulgação
Consignado: começa o assédio sobre beneficiários do Auxílio Brasil

A ampliação do  empréstimo consignado para beneficiados com o  Auxílio Brasil, a exemplo do que ocorre com aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), já atiçou o assédio de estelionatários que, de posse dos dados destas pessoas, começaram a fazer ofertas desse tipo de crédito, que ainda não foi regulamentado pelo Ministério da Cidadania. Ou seja, é mais uma tentativa de golpe contra o beneficiado.

O Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) tem alertado sobre a investida de instituições financeiras e de golpistas sobre essa camada mais pobre da população.

Entre no canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

"Essas pessoas já vivem em condição de vulnerabilidade extrema e vão ser assediadas para contratação desses serviços", chegou a alertar Ione Amorim, coordenadora do programa de Serviços Financeiros do Idec.

Mirian Silva Guimarães, de 39 anos de idade, moradora de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, recebeu duas ligações oferecendo esse crédito. Mãe de 3 filhos, sendo dois menores, Mirian estranhou a ligação recebida de uma pessoa desconhecida que estava com todos os seus dados pessoais, inclusive o Número de Inscrição Social (NIS).

"A pessoa que me ligou ofereceu um empréstimo de R$ 2.500, que cairia no mesmo dia na minha conta, e informou que as parcelas de R$ 170 seriam descontadas diretamente no meu Auxílio Brasil", conta Mirian, que disse não estar interessada em contrair dívida.

"A pessoa insistiu e pediu um código que eu não tenho e me orientou a pegar esse número no Cras (Centro de Referência e Assistência Social)", acrescenta.

"Eu coloquei esse número que me ligou como spam e agora não recebo mais esse telefonema. O que acho estranho é como tinham todos os meus dados, até quanto recebo de auxílio "questionou Mirian.

Procurado, o Ministério da Cidadania informou que a posse das informações é da pasta e que vai verificar o ocorrido.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários