Christino Áureo, relator do texto na Câmara
Reprodução
Christino Áureo, relator do texto na Câmara

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Eleitoral reservou R$ 2 bilhões para um auxílio a taxistas, o que pode permitir com que cada profissional recebe até R$ 16 mil durante seis meses. Segundo o relator do texto, Christino Áureo, existem apenas de 120 a 140 mil profissionais para receber o montante. 

O governo não estipulou o valor do benefício, apenas o total de R$ 2 bilhões. O que se sabe é que ele só dura até dezembro de 2022. 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

“Vai ser um rateio entre o valor de R$ 2 bilhões que a PEC está disponibilizando e a base de informações das chamadas licenças ou autonomias dos municípios. É a divisão desse valor pela base a ser informada pelos municípios”, disse Christino.

Se forem 120 mil taxistas, o total após seis meses será R$ 16.666,77. Caso o número seja os 140 mil, a cifra até o fim do ano ficará em R$ 14.285,71.

A título de comparação, o governo reservou R$ 5,4 bilhões para caminhoneiros, que são 900 mil no país. Sendo assim, cada um receberá R$ 1.000 até o fim do ano.

A PEC ainda prevê aumento no Auxílio Brasil, de R$ 400 para R$ 600, com custo de R$ 26 bilhões até dezembro, transporte gratuito para idosos (R$ 2,5 bi) e Imposto sobre Etanol (R$ 3,8 bi até dezembro). Ao todo, o custo da PEC é estimado em R$ 41,25 bilhões.

O texto, no entanto, ainda precisa ser aprovado na Câmara dos Deputados. Ontem, o presidente da Casa, Arthur Lira,  adiou a votação por falta de quórum devido ao impasse sobre a manutenção, ou não, do estado de emergência. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários