Petróleo Brent é vendido por US$ 115 e defasagem da gasolina bate 18%
Felipe Moreno
Petróleo Brent é vendido por US$ 115 e defasagem da gasolina bate 18%

O preço do barril de petróleo Brent sobe 0,72% e ultrapassa a marca de US$ 115 nesta terça-feira (17), a maior cotação desde março, quando começou a guerra na Ucrânia. Com isso, a defasagem média da gasolina chega a 18%, segundo relatório da Abicom, associação que reúne as importadoras do setor de combustíveis.

O diesel, após oito dias de vigência do  reajuste de 8,87% promovido pela Petrobras , reduziu a defasagem de 17% para 4%. "O mercado internacional e do câmbio pressionam os preços domésticos e o PPI (Preço em Paridade de Importação) acumula redução de R$ 0,45/L desde o último reajuste", diz a nota.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Já a gasolina, que não sofre reajuste nos preços a 67 dias, está com o preço abaixo, na média, de -R$ 0,88/L, variando entre -R$ 1,03/L a -R$ 0,32/L, a depender do porto de operação.

Segundo o relatório, "as defasagens ainda se encontram afastadas da paridade e inviabilizam as operações de importação".

Segue no radar dos investidores a perspectiva de proibição das importações de petróleo russo por parte da União Europeia (UE) , o que restringiria a oferta da commodity e o estágio da Covid-19 na China .

Por volta de 10h20, no horário de Brasília, o contrato para julho do petróleo tipo Brent subia 0,04%, cotado a US$ 114,28, o barril.

Já o preço para o contrato de junho do petróleo tipo WTI caía 0,02%, cotado a US$ 114,18, o barril.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários