Lula: 'Problemas serão resolvidos quando pobres estiverem na economia'
Reprodução/Revista Time 4.5.2022
Lula: 'Problemas serão resolvidos quando pobres estiverem na economia'

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse, em entrevista à revista americana  Time,  que os problemas econômicos do país "só serão resolvidos quando os pobres estiverem na economia". Durante a declaração, Lula falava sobre os desafios de assumir a presidência da República caso ganhe as eleições deste ano.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia

"Eu tenho a certeza de que esses problemas só serão resolvidos quando os pobres estiverem participando da economia, quando os pobres estiverem participando do orçamento, quando os pobres estiverem trabalhando, quando os pobres estiverem comendo. Isso só é possível se você tiver um governo que tenha compromisso com as pessoas mais pobres", afirmou.

O ex-presidente também falou com saudosismo da época em que ocupava o cargo de chefe do Executivo, entre 2003 e 2010. Disse que as expectativas de um novo governo são altas porque "as pessoas trabalhavam, as pessoas tinham aumento de salário, os reajustes salariais eram acima da inflação. Então eu penso que as pessoas têm saudades disso e as pessoas querem isso melhorado".

Em 2010, último ano de governo Lula, a taxa de desemprego no Brasil era de 6,7%, atingindo cerca de 1,6 milhão de brasileiros. A inflação, por sua vez, fechou aquele ano em 5,91%. No primeiro trimestre de 2022,  a taxa de desemprego ficou em 11,1%, atingindo 11,9 milhões. Já o IPCA-15, prévia da inflação oficial,  acumula alta de 12,03% nos últimos 12 meses. Os dados são do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Durante a entrevista, o petista se esquivou de falar sobre seus planos para a economia do país. "Eu sou o único candidato com quem as pessoas não deveriam ter essa preocupação, porque eu já fui presidente duas vezes. E a gente não discute política econômica antes de ganhar as eleições. Primeiro você precisa ganhar para depois saber com quem você vai compor e o que você vai fazer", retrucou.

'É irreal para o Brasil deixar de usar petróleo'

O pré-candidato à presidência da República descartou a possibilidade de o Brasil deixar de usar combustíveis fósseis, por considerar irreal para o país. Durante sua fala, ele se referia à proposta do candidato à presidência da Colômbia, Gustavo Petro, de criar um bloco antipetróleo. A ideia é continuar extraindo o que já descobriram, mas deixar de explorar.

"Enquanto você não tiver energia alternativa, você vai utilizar a energia que você tem. Isso vale para o Brasil e vale para o mundo inteiro", opinou ao ilustrar a experiência da Alemanha, que decidiu fechar todas as suas usinas nucleares, mas não contava com a invasão da Ucrânia pela Rússia, país responsável por grande parte do fornecimento de energia para a Europa.

"O que você pode estabelecer é um plano de longo prazo para você diminuir [o consumo de petróleo] na medida em que você vai criando alternativas. Não dá para imaginar que os Estados Unidos vão parar de utilizar petróleo do dia para a noite, ou qualquer país", concluiu.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários