Bolsa cai mesmo com alta dos setores beneficiados pela desoneração
Luiza Eiterer
Bolsa cai mesmo com alta dos setores beneficiados pela desoneração

No primeiro dia de funcionamento da Bolsa de Valores no ano, o índice iniciou o dia em alta, mas logo caiu. Ao meio-dia registrava queda de 1,53%, aos 103.507 ponto. O dia ainda deve contar com a liquidez um pouco mais baixa, com alguns mercados pelo mundo fechados.

O principal índice da B3 era prejudicado pela alta nas taxas de juros futuros, que pressionavam empresas do setor de tecnologia.

Na ponta positiva, o destaque ia para companhias ligadas a commodities e para os bancos. Já entre as baixas, figuram papéis que vem de um desempenho ruim em 2021, como aqueles ligados ao varejo eletrônico.

As ações de frigoríficos também caíam após o  presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciar um conjunto de medidas para reduzir a concentração no mercado de carne do país.

No mesmo horário, a moeda americana tinha alta de 0,93%, negociada a R$ 5,6268.

Por volta de 11h30, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2023 subia de 11,82% para 11,865% e a do DI para janeiro de 2024 avançava de 10,98% para 11,12%.

Já a do DI para janeiro de 2025 passavade 10,60% para 10,75% e a do DI para janeiro de 2027 subia para 10,685% ante os 10,61% da leitura anterior.

Depois de cair 11,93% no ano passado, a expectativa é que o mercado doméstico siga enfrentando meses de volatilidade, devido ao período eleitoral e com o país tentando apresentar uma recuperação econômica mais robusta.

No entanto, o desempenho positivo das empresas e o ponto de partida baixo podem permitir que o Ibovespa apresente valorização no ano.

E por falar em recuperação econômica, os agentes do mercado reduziram a previsão de crescimento da economia brasileira pela segunda semana consecutiva. É o que mostra o Boletim Focus, relatório semanal divulgado pelo Banco Central (BC).

A estimativa para o avanço do Produto Interno Bruto (PIB) de 2022 caiu para 0,36% ante os 0,42% da semana anterior. No caso da inflação, o mercado manteve sua projeção de 5,03%, levemente acima do teto da meta de 5%.

No cenário externo, os investidores seguem monitorando a disseminação da variante Ômicron do coronavírus e seus possíveis impactos para a recuperação da atividade econômica, embora não tenham sido anunciadas medidas de novos lockdowns por parte dos governos.

Na semana, os mercados aguardam pela divulgação da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve, Banco Central americano, e por novos dados do mercado de trabalho naquele país.

O ritmo de retirada de estímulos por parte dos bancos centrais de economias desenvolvidas será um dos assuntos observados mais de perto pelos investidores, com a perspectiva de aumento de juros nos EUA.

“Para 2022, os prováveis temas de atenção dos investidores incluem: inflação, impacto da nova variante da Covid na atividade econômica global e aperto da política monetária, ao passo que o mercado já precifica duas a três altas na taxa de juros americana neste ano”, destacaram analistas da XP, em nota matinal.

Petrobras e Vale sobem

Entre as ações, as ordinárias da Petrobras (PETR3, com direito a voto) subiam 1,07% e as preferenciais (PETR4, sem direito a voto), 1,27%, em dia de oscilação nos preços do petróleo no exterior.

Leia Também

Impulsionada pela alta dos preços do minério de ferro negociado na China, as ordinárias da Vale (VALE3) avançavam 1,78% e as da Siderúrgica Nacional (CSNA3), 0,24%.

As preferenciais da Usiminas (USIM5) subiam 0,59%.

No setor financeiro, a primeira metade do pregão era positiva. As preferenciais do Itaú (ITUB4) e do Bradesco (BBDC4) tinham altas de 1,24% e 1,25%, respectivamente.

As ordinárias do Banco do Brasil (BBSA3) subiam 1,04%.

Marfirg e JBS caem, após anúncio nos EUA

Na ponta negativa, destaque para os frigoríficos. As ordinárias da Marfirg (MRFG3) cediam 2,22% e as da JBS (JBSS3), 3,74%.

As ações anunciadas pelo governo americano incluem subsídios e maior oferta de crédito para pequenos produtores, além de exigências para que os processadores de carne exibam de forma mais clara a rotulagem dos produtos "made in America".

O pacote deve afetar frigoríficos brasileiros. As vendas de carnes nos EUA respondem por 75%  da receita de JBS e Marfrig.

Quem também caía eram empresas ligadas ao varejo eletrônico, influenciadas pela alta nas taxas de juros futuras.

As ordinárias do Magazine Luíza (MGLU3) cediam 7,34% e as da Via (VIIA3), 6,86%.

Os ativos ON da Americanas (AMER3) caíam 6,74% e os da Méliuz (CASH3), 6,79%.

Evergrande suspende negociação de ações

Na Europa, as bolsas operavam com sinais contrários. Por volta de 11h45, no horário de Brasília, a Bolsa de Frankfurt subia 0,46% e o índice CAC 40, da Bolsa de Paris, subia 1,03%, caminhando para um novo recorde.

Na Bolsa de Londres, não há negociação nesta segunda-feira.

As bolsas asiáticas tiveram um pregão esvaziado devido a feriados na China e no Japão. Em Hong Kong, onde ocorreram negociações, houve recuo de 0,53%.

No cenário corporativo, o destaque foi novamente para as ações da gigante do setor imobiliário chinês Evergrande, que suspendeu a negociação de suas ações, mas sem dar maiores detalhes.

A suspensão ocorre em meio a relatos da imprensa chinesa de que a companhia recebeu ordens das autoridades da província de Hainan, no sul do país, para demolir 39 prédios em 10 dias porque as licenças de construção foram obtidas ilegalmente.

Na semana passada, a empresa não havia feito o pagamento de um cupom de juros em títulos para investidores estrangeiros. Os papéis da companhia caíram 89% em 2021.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários