Protesto reforma administrativa
Reprodução/ TV Globo
Protesto reforma administrativa

Manifestantes entraram em confronto com a Polícia Militar de São Paulo e com a guarda municipal após manifestação contra a  reforma da Previdência  Municipal enviada pelo prefeito Ricardo Nunes.

De acordo com o G1, o primeiro confronto se deu às 16h30 com a Guarda Civil Metropolitana (GCM). Os guardas atiraram com balas de borracha após os manifestantes jogarem ovos, garrafas e mastros da bandeira contra o prédio da Câmara.

Em nota, a GCM informou que realizou apenas "um disparo de bala de borracha para dispersar manifestantes alterados que tentaram pular a grade e atiraram pedras contra o prédio da Câmara". Um dos guardas foi alvejado por uma pedra que atingiu o capacete e não causou ferimentos.

Segundo o sindicato, uma mulher se feriu e fraturou a perna após disparos da PM e GCM no Viaduto Jaceguai, onde fica a Câmara. O comércio local foi fechado e o viaduto teve a passagem interrompida.

Vídeo:


Leia Também

Um bombeiro também foi mobilizado ao local depois que dois manifestantes  atearam fogo em sacos de lixo na rua.  

Com faixas e cartazes contra Nunes, os manifestantes começaram a se concentrar em frente à Câmara por volta de 14h para protestar contra o texto que aumenta a taxação para 63 mil aposentados do município. Para pessoas que ganham mais de um salário mínimo, a alíquota sobe para 14%.

Na atual regra do município, o percentual só é descontado de quem ganham acima de R$ 6.433.



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários