Bolsonaro faz arminha com as mãos durante desfile de 7 de setembro
Alan Santos/PR
Bolsonaro faz arminha com as mãos durante desfile de 7 de setembro

Os atos pró-Bolsonaro realizados no dia 7 de setembro tiveram impacto de R$ 655,5 mil aos cofres públicos. O valor seria capaz de bancar 3.018 Auxílios Brasil, benefício que vai substituir o Bolsa Família, no valor de R$ 217,18, o que se propõe a pagar a partir de 2023. Até dezembro de 2022 o valor é de R$ 400.

Os gastos se dividem entre a cerimônia de hasteamento da bandeira nacional, onde foram gastos R$ 295,3 mil e a viagem para São Paulo ocorrida logo em seguida saiu por R$ 360,2 mil. Em ambos o presidente discursou contra o Supremo Tribunal Federal e adotou tom golpista. Logo depois emitiu uma nota culpando "o calor do momento".

Em Brasília, os custos se relacionam com a montagem da infraestrutura do evento, alimentação dos militares e outros cuidados de segurança. A manifestação pode ter custado ainda mais, já que os gastos no cartão presidencial na data foram classificados como sigilosos.

Já em São Paulo, os gastos foram com a viagem em si, locação de veículos, passagens, telefonias e diárias, além dos débitos sigilosos no cartão da presidência.

Leia Também

A informação, divulgada pela coluna do Guilherme Amado, do portal Metrópoles, está em ofício da Secretaria-Geral da Presidência da República enviado a Comissão Financeira de Fiscalização e Controle da Câmara, que pediu os dados no fim de setembro.



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários