O Brasil Econômico Ao Vivo desta quinta-feira (21) recebe Victor Iocca da ABRACE
Brasil Econômico
O Brasil Econômico Ao Vivo desta quinta-feira (21) recebe Victor Iocca da ABRACE

O Brasil enfrenta a pior crise hídrica em 91 anos de monitoramento das bacias hidrográficas do país, de acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico. As soluções apresentadas pelo governo para a crise de energia, até o momento, envolvem investimento em termelétricas, aumento da bandeira tarifária e  "usar menos elevador e tomar banho frio". 

Com os reservatórios do sistema Sudeste/Centro-Oeste, que geram 70% da energia do país, operando com 19,59% da capacidade, todas elas parecem paliativas.

Apesar da promessa do presidente Jair Bolsonaro de voltar a conta de luz para a bandeira "normal" , o Ministério de Minas e Energia afirma que vai manter a "bandeira de escassez hídrica" até maio , indicando que a crise deve perdurar por pelo menos mais sete meses. 

Atualmente, a bandeira praticada pela agência reguladora é a de escassez hídrica. A bandeira cobra 50% a mais do valor praticado pela bandeira vermelha patamar 2, a mais cara da Aneel. O novo valor representa um aumento de 49,6% (ou R$ 4,71).

Isso impacta, principalmente, os grandes consumidores de energia que repassam o preço ao consumidor. 

"A energia não é consumida só pelas pessoas em casa, é consumida pelas indústrias. Segmentos estratégicos, que empregam muitas pessoas, usam muita energia: construção civil e automobilística, por exemplo. E aí você penaliza mais esses setores", disse André Braz, coordenador do IPC (Índice de Preços ao Consumidor) do FGV IBRE (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas) em entrevista ao Brasil Econômico

Para debater sobre o aumento da energia e seus impactos na inflação, o Brasil Econômico Ao Vivo desta quinta-feira (20) recebe Victor Iocca, Gerente de Energia Elétrica da ABRACE (Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres). A live começa às 17h no canal do YouTube do iG , pela página oficial do  portal no Facebook  ou pelo  LinkedIn. Você pode mandar suas dúvidas pelo  [email protected] .

Leia Também

Em agosto, por exemplo, o item com maior impacto na prévia da inflação foi a conta de luz, que representou 0,23% dos 0,89% do IPCA-15 (índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15), divulgado pelo IBGE. Com esse resultado, a inflação da energia elétrica (5%) registrada pelo IPCA-15 em agosto foi a maior desde julho de 2018 (6,8%).

Lives Brasil Econômico

Semanalmente, a redação do Brasil Econômico entrevista algum especialista para aprofundar um tema relevante do noticiário econômico. Sempre às quintas-feiras, as transmissões começam às 17h pela página do Facebook e pelo canal do iG no YouTube.




    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários