Ministério da Agricultura investiga caso suspeito de vaca louca em Minas Gerais
Macos Santos/USP Online
Ministério da Agricultura investiga caso suspeito de vaca louca em Minas Gerais

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) está investigando um caso suspeito de "vaca louca" no Brasil. A informação foi confirmada pela pasta em uma nota divulgada na última quarta-feira (1). A condição teria sido identificada em um frigorífico de Belo Horizonte, Minas Gerais.

A vaca louca, também chamada de encefalopatia espongiforme bovina (EEB), é uma doença degenerativa que afeta o sistema nervoso dos animais. Normalmente, atinge o gado de idade mais avançada e pode levá-lo à morte. Ela é causada por uma proteína chamada príon, que pode ser adquirida de forma natural ou por contaminação. A EEB também pode ser transmitida aos humanos pela ingestão de carne contaminada. Nesse caso, é denominada doença de Creutzfeldt-Jakob.

Embora ainda não tenha sido confirmado, o caso gerou forte reação na Bolsa de Valores, B3. Na quarta-feira, a suspeita paralisou o mercado internacional de boi gordo e fez o preço da arroba (15kg) cair 4%, para R$ 297,65. Antes disso, nos últimos nove meses, a cotação mais baixa havia sido de 5,13%, quando o preço chegou a R$ 303,55, em dezembro do ano passado.

O preço do boi gordo pode voltar a cair nos próximos dias até que os resultados dos exames sejam apresentados pelo Ministério da Agricultura. A suspeita é de que trata-se de um caso atípico (quando não há contaminação). Caso a doença seja confirmada, o Mapa deve notificar obrigatoriamente a Organização Internacional de Saúde Animal (OIE).

Histórico de vaca louca no Brasil

O último registro de vaca louca confirmado no Brasil aconteceu em 2019, em um frigorífico no Mato Grosso. A doença foi identificada em uma vaca de 17 anos da raça nelore. Na época, as exportações de carne bovina ficaram suspensas por mais de 15 dias.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários