Igor Britto, diretor de relações institucionais do Idec, foi o condidado da live do Brasil Econômico desta quinta-feira (22)
Brasil Econômico
Igor Britto, diretor de relações institucionais do Idec, foi o condidado da live do Brasil Econômico desta quinta-feira (22)

O entrevistado da  live do Brasil Econômico desta quinta-feira (8), Igor Britto ,  diretor de relações institucionais do Idec  (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor ), disse que o reajuste negativo de 8,19% nos planos de saúde individuais  é justo, mas não soluciona o problema. Isso porque a maioria dos segurados no Brasil usufruem dos planos coletivos

Ele justifica o abatimento dos preços pela pandemia , que reduziu o número de consultas, uma vez que os segurados evitaram idas à hospitais. "A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) identificou que no ano passado as empresas tiveram a receita elevada, enquanto a despesa diminuiu. Isso fez com que o reajuste dos planos fosse negativo, e nós comemoramos muito", explicou. 

"A gente acredita que esse movimento que a ANS fez abriu espaço para que a sociedade tenha um pouco mais de transparência de como o cálculo é realizado", finaliza.

Esse tipo de contrato, no entanto, é minoria. Segundo ele, mais de 90% dos segurados usufruem de planos coletivos . Mas, a redução dos planos individuais abriu um precedente histórico para que os planos empresariais possam também ser discutidos de forma mais ampla. 

Você viu?

"No caso dos planos empresariais não há controle, não há regulamentação. Os valores são reajustados pelas próprias operadoras. Inclusive, elas decidem quando cancelar esses contratos, e os consumidores nada podem fazer", diz.

Para solucionar esse problema, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) analisa uma ação que tenta regular os contratos dos planos coletivos. O Idec entende que esse controle deve ficar a cargo da ANS para evitar reajustes "altíssimos", como é realidade nesse mercado. 

Veja o vídeo


Lives do Brasil Econômico

Semanalmente, a redação do  Brasil Econômico entrevista algum especialista para aprofundar um tema relevante do noticiário econômico. Sempre às quintas-feiras, as transmissões começam às 17h pela página do Facebook e pelo canal do iG no Youtube .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários