O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ministro da Economia, Paulo Guedes
Reprodução
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ministro da Economia, Paulo Guedes


O Facebook disponibilizou o vídeo de uma reunião do Conselho de Saúde Suplementar, deletado pelo Ministério da Saúde. Na ocasião, o ministro da Economia, Paulo Guedes , criticou o aumento da expectativa de vida, o Fies e a educação pública . Guedes também apontou a livre circulação de maconha nas universidades federais  e imitou um usuário de drogas .

Veja:



Ele também afirmou que que não foi a pandemia que tirou a capacidade de atendimento do setor público, mas sim "o avanço na medicina " e "o direito à vida''.

Você viu?

"Todo mundo quer viver 100 anos, 120, 130 ",   disse. Segundo ele, "não há capacidade de investimento para que o Estado consiga acompanhar" a busca por atendimento médico crescente.



Na mesma reunião Guedes afirmou que " o chinês inventou o vírus" e tem uma vacina menos eficiente do que as desenvolvidas por laboratórios privados dos Estados Unidos. Com a ironia, o economista tentou defender a maior eficiência de empresas privadas sobre o setor público. 

Aliados do governo e o próprio presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido),  temem que o ministro seja convocado para depor na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid-19 . Isto porque Guedes tem dado muitas declarações polêmicas, e uma nova frase chocante pode desgastar ainda mais o governo. 

A equipe econômica está proibida de tocar no assunto, mas alguns deles confessam que Guedes ficou bastante incomodado com as declarações de Mandetta e que, caso tenha que depor, ele precisará passar por algum tipo de treinamento.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários