Brasil Econômico

maia
Marcos Corrêa/PR
Bolsonaro não quer criar farpas entre Paulo Guedes e Rodrigo Maia em prol da aprovação da reforma da Previdência

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, incluiu a previsão de pagamento do 13º para beneficiários do programa Bolsa Família na Medida Provisória 1000/20, que prorrogou o auxílio emergencial até dezembro. A informação é da colunista Carla Araújo, do portal Uol.

O texto está na pauta do Plenário desta sexta-feira (18), mas, provavelmente, só será votado na semana que vem. Maia articulou com o relator da MP, o deputado Marcelo Aro (PHS-MG), a inclusão do tema do 13º do Bolsa Família no texto. O governo de Jair Bolsonaro é contra a medida.

Richa entre Maia e Bolsonaro 

Em sua tradicional live semanal, realizada na noite desta quinta-feira (17), o presidente Bolsonaro disse que Maia era o culpado pelo fato de os beneficiários do Bolsa Família não receberem uma 13ª parcela do programa neste ano.

Apesar da fala do presidente durante a live, a MP não foi votada por causa de uma articulação do próprio governo, que previa um impacto de R$ 8 bilhões aos cofres públicos caso o 13° fosse pago.

Maia não gostou nada da postura de Bolsonaro e deu a entender que a inclusão da previsão do pagamento fosse por esta atitude. A queda de braço entre Maia e o governo tem como pano de fundo a disputa pelo comando da Câmara dos Deputados.

Sobre a acusação do presidente durante a Live, Maia respondeu, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo. "Nunca imaginei que Bolsonaro fosse mentiroso".

Maia, que deixa o cargo em fevereiro, tenta fazer o seu sucessor e formar um bloco amplo com apoio da oposição. Já Bolsonaro tenta emplacar o deputado Artur Lira (PP-AL).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários