Brasil Econômico

poupança
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Poupança perde para a inflação no acumulado de 12 meses até setembro

Investimento simples e com retorno garantido, a caderneta de poupança sempre esteve muito presente na vida dos brasileiros. Em função disso, brasileiros de todas as classes sociais podem estar perdendo dinheiro com essa 'segurança' da poupança . Isso porque, no acumulado dos últimos 12 meses até setembro, ela rende menos do que a inflação.

Segundo levantamento da Economatica, provedora de informações financeiras, o rendimento nominal do investimento foi de 2,67% nos 12 meses até setembro deste ano, mas, se descontada a inflação, o resultado acumulado é uma queda de 0,46%, ou seja, na prática, o dinheiro parado na poupança perdeu valor. Isso não ocorria desde janeiro deste ano.

Considerado a inflação oficial, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve uma alta de 0,64% em setembro, chegando a 3,14% em 12 meses, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) . O resultado de setembro foi o maior para o mês desde 2003 no Brasil, e a principal razão da elevação foram os preços dos alimentos.

Até agosto, a poupança ainda tinha ganho real de 0,45% no período de 12 meses, mas a alta da inflação em setembro fez com que ela perdesse valor e sentido para os brasileiros. De acordo com a  Economatica , o retorno de -0,46% registrado pela poupança em setembro é o pior no acumulado de 12 meses desde agosto de 2016, quando a rentabilidade foi de -0,75%, também levando em conta o IPCA do período.

Ainda que, em setembro, a poupança tenha apresentado saldo negativo, ela segue um investimento seguro. Isso porque o ano atípico afetou, por exemplo, o Ibovespa, que em 12 meses até setembro teve uma queda expressiva, de 12,43%. De janeiro a setembro de 2020, a queda é ainda maior, de 19,28%.

O levantamento aponta que, em 12 meses até setembro, os investimentos de melhor resultado foram ouro, 60,17%; euro, 41,16%; e dólar, 31,33%.

Por que a poupança não está rendendo?

Além da aceleração da inflação, outro indicador importante da economia afeta - até mais - a poupança. É a taxa básica de juros, a Selic , que está atualmente em 2% ao ano, o menor valor da história .

Em 2019, com a Selic já vivendo tendência de queda, a poupança não teve ganho real. O acumulado do ano representou uma perda de 0,05%, descontada a inflação. Antes disso, a poupança só havia perdido para a inflação em 2015.

O saldo total em contas poupanças em setembro superou, pela primeira vez, a marca de R$ 1 trilhão. Os depósitos no mês superaram os saques em R$ 13,228 bilhões. O resultado é afetado em grande parte pelo auxílio emergencial pago pelo governo federal desde abril para minimizar os efeitos da crise provoocada pela pandemia, já que parte desses benefícios é paga em contas poupança.

    Veja Também

      Mostrar mais