Brasil Econômico

azeite e vinhos irregulares
Divulgação/PRF
PRF apreendeu vinhos e azeites irregulares que viriam do Paraguai para São Paulo

Neste domingo (19), agentes da Polícia Rodoviária Federal apreenderam um veículo Sandero, com placas de Birigui, município do interior do estado de São Paulo, com 114 galões de vinho e nove galões de azeite de oliva, cada um com cinco litros, e a condutora, uma mulher de 53 anos, não tinha notas fiscais dos produtos e iria revendê-los em sua cidade.

Segundo a PRF, os produtos teriam vindo do Paraguai. A mulher que trazia-os em seu carro disse ter saído de Foz do Iguaçu, cidade brasileira que faz divisa com o país de onde teriam saído os vinhos e azeites irregulares .

"A condutora afirmou ter pego as bebidas na cidade de Foz do Iguaçu e pretendia levá-las para comercialização até sua cidade residencial, Birigui/SP", diz a PRF , que acrescenta que ela poderá responder criminalmente dependendo do tamanho da sonegação de impostos oriunda da compra dos produtos irregulares.

Por não ter apresentado as notas fiscais dos produtos aos agentes da PRF, a mulher teve os vinhos, azeites e o veículo apreendidos e encaminhados ao depósito da Receita Federal em Maringá (PR), local próximo à apreensão, que ocorreu em Nova Esperança (PR). Lá, os produtos da apreensão foram lacrados e esperam decisão da Receita.

"Uma data será marcada pela autoridade fazendária [Receita Federal] para que esta senhora acompanhe a deslacração, oportunizando-a nesta, a apresentação de documentos de regular importação de tais bebidas. Não comparecendo ou não apresentando a regularidade documental, se dará o perdimento das bebidas em favor da União", explica a PRF.

Neste sábado, azeite falso vindo da Argentina também foi apreendido

Na noite deste sábado (18), policiais militares do BPFRON – Batalhão de Polícia de Fronteira – abordaram um veículo Hyundai/HB20S com 30 galões de azeite de oliva extra virgem de 5 litros e mais 80 galões de 2 litros, reunindo 310 litros de azeite , e o condutor também não tinha as notas fiscais dos produtos.

O condutor foi identificado e liberado, mas pode responder criminalmente por contrabando e descaminho. O veículo e as mercadorias sem nota foram apreendidos e entregues na Receita Federal em Santo Antônio do Sudoeste (PR).

    Veja Também

      Mostrar mais