supermercado
shutterstock
Veja o que comprar no supermercado em tempos de crise


Com o período de isolamento criado para tentar conter a disseminação do novo coronavírus , aumenta a corrida para os supermercados , que já dão falta de alguns produtos, como é o caso do álcool gel. 

A recomendação dos especialistas, porém, é evitar o desespero - e não tentar comprar o supermercado todo. Felipe Cunha, coordenador técnico do Grupo de Trabalho de Alimentos do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável, orienta que as pessoas pensem no coletivo neste momento de crise.

“A gente acaba vivendo uma vida muito individualista e, agora, se a gente não olhar para o nosso coletivo, a gente tem uma tendência a se arruinar como comunidade”, afirma.

O conhecido raciocínio popular já diz que se um grupo de pessoas desesperadamente compra produtos em excesso para estocar , outras pessoas ficarão sem ter o que consumir.

Felipe explica, porém, que isso vai ainda mais além quando nos damos conta de que vivemos em comunidade e que, portanto, o que afeta o outro também nos afeta. 

Leia também: Supermercado indenizará consumidora que achou rato morto em cacho de banana

Álcool gel está sendo um clássico: se as pessoas estocam 10, 20 potes de álcool gel, acaba o produto. Se eu estou cheio de álcool gel em casa mas meu vizinho não está, eu estou ainda muito exposto à contaminação . Então, não adianta a gente olhar só para si se a gente não olhar para o lado”, explica o especialista.

O que comprar no supermercado? 

O momento atual em que vivemos não dá motivos para comprarmos produtos para serem estocados por muito tempo, justamente porque isso acaba gerando um caos ainda maior. Mas, então, o que comprar nos supermercados

Embora poucos países tragam recomendações claras para momentos de crise , o Escritório Federal de Proteção Civil e Assistência a Desastres da Alemanha mantém uma série de dicas de como se abastecer do necessário em situações em que é recomendado evitar sair de casa. 

Leia também: Governo de São Paulo suspende conta de água para baixa renda

A lista traz dicas bastante válidas, como se atentar ao prazo de validade dos produtos na hora da compra, manter os novos itens alimentares na parte de trás do armário - a fim de consumir os mais próximos da validade primeiro - e comprar apenas aquilo "que você e sua família consumiriam de qualquer maneira". 

Essa última dica é bastante valiosa. Neste momento, o recomendado é fazer uma espécie de compra do mês , e nada além disso. Diante da situação atual, é indicado que as pessoas evitem sair de casa, sobretudo aquelas que estão em grupo de risco da Covid-19 .

Por isso, é interessante ter em casa produtos o suficiente para evitar saídas recorrentes ao mercado. Mas, por enquanto, não é preciso pensar em um prazo tão longo. 

“O medo de faltar, esse inesperado que a gente não conhece, causa esse ímpeto de estocar o máximo possível. Mas não é necessário”, afirma Felipe.

A lista de supermercado ideal

O primeiro passo para montar uma lista correta antes de ir ao supermercado é pensar na quantidade de pessoas que vivem na casa e que, portanto, irão consumir os produtos.

“A gente tem que ter um cuidado de não ter um superconsumo neste momento, de consumir tudo o que é coisa que às vezes nem tem necessidade e vai acabar estragando , causando um grande desperdício”, alerta Felipe. 

Leia também: Procon alerta: subir preço sem motivo pode dar até cadeia

De olho em produtos para no máximo um mês e calculando a quantidade correta de consumo para cada pessoa, é hora de pensar em quais produtos são essenciais neste momento.

  • Produtos de higiene : em um momento de tentativa de evitar o contágio do novo coronavírus, é importante ter em casa produtos de higiene pessoal e de desinfecção dos ambientes;
  • Alimentos : o ideal é comprar alimentos não perecíveis e que, portanto, durem mais tempo quando armazenados. Mas não é preciso focar só nos enlatados e congelados, já que é muito importante pensar também em alimentos saudáveis para manter a saúde em dia durante a pandemia do novo coronavírus;
  • Água : em muitos locais do Brasil, a questão da água não é um problema. Mas em outros, como é o caso do Rio de Janeiro, pode ser interessante se abastecer de água mineral. O governo alemão recomenda a conta de 14 litros de água por pessoa por semana .

Em algum momento será necessário estocar comida?

Se ainda não é momento de correr aos supermercados e estocar um monte de comida, essa hora vai chegar? Felipe explica que sempre será necessário deixar o desespero de lado, e que é necessário se atentar às recomendações governamentais. 

Leia também: Está de quarentena? Instituto Êxito oferece 300 cursos online gratuitos

“Eu acho que se a gente ficar atento às notícias e às boas informações e tiver um momento que falem que teremos que ficar em isolamento por mais tempo, eu aconselharia, sim, que se estoque um volume de coisas que você pode congelar e alimentos não perecíveis para você se manter”, afirma o especialista. 

Apesar disso, Felipe disse que ainda assim seria necessário não exagerar , reduzir completamente os desperdícios e diminuir o consumo. “Mesmo que o abastecimento diminua, vai ter o mínimo para as pessoas.

Mas seria um outro momento , uma outra situação de altíssima crise, quase uma situação de guerra, na qual você tem que diminuir as porções e controlar o consumo”, alerta. 

Crise traz lições importantes

Apesar da dificuldade de se passar por uma pandemia como a atual do novo coronavírus , Felipe aponta que boas lições podem ser tiradas deste momento, sobretudo em relação ao consumo excessivo .

“A situação está dando vários aprendizados para a gente de convivência em comunidade, de necessidade de olhar para o outro, e de olhar para padrões de consumo e de hábito. É uma oportunidade para a gente começar a criar uma visão de comunidade que a gente não tem”, afirma. 

    Veja Também

      Mostrar mais