No Carnaval, fique de olho nas compras
undefined
No Carnaval, fique de olho nas compras


O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia ( Inmetro ) alerta que os consumidores evitem comprar produtos falsificados neste Carnaval . Da fantasia à camisinha , os itens sem a certificação do Inmetro podem causar riscos aos foliões. 

Para saber se um produto é seguro e original , é preciso que ele traga consigo o selo de verificação do órgão. No caso das fantasias , ele estará na etiqueta. Já para os preservativos , a marca do Inmetro fica estampada nas caixas.

Leia também: Carnaval deve movimentar R$ 8 bilhões em atividades ligadas ao turismo, diz CNC

Como saber se uma fantasia é segura

A fantasia pode parecer o item mais inofensivo do Carnaval , mas ela pode trazer riscos à saúde dos consumidores. Para os alérgicos , é importante saber qual foi a matéria-prima utilizada na fabricação do tecido, e essa informação só estará disponível se a roupa for verificada pelo Inmetro

A brincadeira pode ficar ainda mais perigosa para as crianças . As fantasias infantis possuem, muitas vezes, adereços que são considerados brinquedos, como é o caso de máscaras, óculos, martelos de super-heróis e tiaras de princesa. Nesses casos, os itens devem conter, ainda, a faixa etária descrita na embalagem, para que os pais saibam se o objeto é seguro para seus filhos.

Leia também: Carnaval: 62% dos consumidores devem gastar até R$ 500 nos quatro dias de folia

Para todas as fantasias, o Inmetro exige que cinco informações estejam presentes na etiqueta. Fique de olho:

Você viu?

  • Razão social do produtor ou comerciante da fantasia;
  • CPF ou CNPJ;
  • País de origem;
  • Dados sobre a composição do tecido;
  • Modo de lavar ou passar. 

Como saber se uma cadeira é segura

No Carnaval , é comum que as pessoas comprem ou aluguem cadeiras plásticas para assistirem os blocos passarem. Nesse caso, o Inmetro alerta que a certificação é necessária para que o consumidor utilize uma cadeira confiável e que passou por testes - caso contrário, acidentes podem acontecer. 

Leia também: Hora de planejar a folia: 6 dicas para economizar no Carnaval 2020

O selo do Inmetro deve estar colado nas cadeiras e precisa conter, necessariamente:

  • Identificação do fabricante;
  • Data de fabricação e tempo de vida útil;
  • Peso máximo suportado;
  • Classe (se é para uso interno ou externo).

Como saber se a camisinha é segura

No caso dos preservativos , o órgão regulamentador é a Agência Nacional de Vigilância Sanitária ( Anvisa ), mas o Inmetro é responsável pelas regras de certificação.

O órgão alerta que preservativos nunca devem ser comprados de forma individual, mas sim em caixas ou embalagens. A única exceção é para campanhas do Ministério da Saúde

Leia também: Carnaval não é feriado nacional e empresas podem não liberar funcionários

Na caixa ou embalagem das camisinhas , é necessário conter:

  • Marca do Inmetro;
  • Marca do organismo de certificação;
  • Data de validade;
  • Instruções de uso.

Tive problema com um produto, e agora?

Em casos de acidentes envolvendo qualquer produto certificado pelo Inmetro neste Carnaval , é necessário formalizar uma denúncia ou reclamação junto à ouvidoria do órgão. O telefone 0800 285 1818 atende de segunda a sexta-feira, das 9h Às 17h. Os registros também podem ser feitos através do site do Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo (Sinmac) .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários