Tamanho do texto

Negociação pode ser feita pela internet, sem custos e pode ser feita até 30 de novembro; empresas de crédito, telefonia e ensino aderiram ao programa

Feirão Limpa Nome presencial arrow-options
Reprodução
Edição do Feirão Limpa Nome deste mês é on-line e evita filas para consumidores endividados

Os consumidores que estão inadimplentes, com pagamentos atrasados ou negativados, poderão negociar suas dívidas com mais de 20 empresas , a partir desta segunda-feira (4) até 30 de novembro. 

E o melhor que não vai ser necessário sair de casa ou enfrentar filas. O Feirão Limpa Nome do Serasa Consumidor, chega a sua 24º edição totalmente on-line .

Perdeu o controle das contas? Veja 5 atitudes que não devem ser tomadas no susto

A plataforma pode ser acessada pelo computador, tablet ou celular no  site do Feirão ou pelo  aplicativo do Serasa Consumidor. Os descontos, segundo o Serasa, podem chegar a 98% do valor total da dívida.

 Na versão online anterior, realizada em março de 2019, mais de 18 milhões de pessoas visitaram o site, resultando em mais de 2.8 bilhões de reais em descontos concedidos.  

As empresas participantes do programa são: Santander, Itaú, Recovery, Ativos, Net, Claro, Embatel, Anhaguera, Credsystem, Ipanema, Unopar, Sky, Nextel, Banco BMG, Digio, Hoepers, Porto Seguro, Tricard, Oi, Zema, Unic, Fama, Pitágoras, Uniderp, Unime.

Quer empurrar suas dívidas? Especialista ensina a hora certa de renegociar

O Serasa afirma que todas elas oferecem oportunidades exclusivas no Feirão, prazos de pagamentos diferenciados, e descontos para a quitação das contas em atraso.    

Segundo Lucas Lopes, gerente do Serasa Limpa Nome, essa é a oportunidade de as pessoas negociarem suas dívidas com facilidade e segurança.

“O feirão é um momento bastante esperado pelos consumidores. Durante quase todo o mês de novembro, os parceiros ofertarão condições especiais para quem quiser pagar suas dívidas. No último feirão tivemos um resultado surpreendente", afirma Lopes.

Ele salienta a boa época do ano para negociar as dívidas. "Sabemos que o começo do final do ano é um momento que as pessoas estão com mais possibilidades de quitar suas dívidas por conta do 13° salário , por isso, repetimos essa edição”, acrescentou.

Perfil da inadimplência   

pessoa com contas arrow-options
shutterstock
O número de inadimplentes no Brasil cresceu em mais de 2 milhões de consumidores em um ano no País

Segundo estudo desenvolvido pela Serasa Experian, em outubro de 2019, o número de consumidores inadimplentes no país chegou a 63,2 milhões . Em outubro de 2018, eram 60,1 milhões.

O montante alcançado pelas dívidas até setembro de 2019 foi de R$ 252 bilhões , com o valor médio de R$ 3.997,00.       

Veja as contas que você pode ficar sem pagar para sair do vermelho

 A maior concentração dos negativados tem entre 26 e 40 anos (38,3% do total). Em segundo no ranking de participação entre os inadimplentes estão pessoas de 41 e 60 anos, que correspondem por 34,5% do total.

Quanto ao gênero, a inadimplência está dividida praticamente por igual: 47,7% são homens, e 47,2% são mulheres. A maioria das dívidas foi contraída junto aos setores bancários e de cartão de crédito, totalizando 28% do total.

O setor de utilities (contas básicas como energia elétrica, água e gás) respondeu por 19% do total de débitos em atraso . O setor de telefonia alcançou 11% do montante. Já o setor de varejo respondeu por 12,7% da inadimplência.   

O levantamento ainda mostra que, em setembro de 2019, a região com maior percentual de inadimplentes do país era a Sudeste, com 45,2% do total, seguida pela região Nordeste, com 24,7%.

O Sul ficou em terceiro, com 12,9% dos negativados. A região Norte registrou 9,2% , seguido da região Centro-Oeste, com 8,1%.