Tamanho do texto

"A Petrobras está fortemente comprometida com a transparência e repudia práticas monopolistas", disse a estatal, em nota. Reajuste se dá após 18 dias e acompanha a alta de preços no mercado internacional, segundo a empresa

Bomba de combustível
shutterstock
Petrobras anunciou aumento de preço da gasolina após intervenção de Bolsonaro

A Petrobras anunciou nesta terça-feira (23) um aumento médio de R$ 0,0396 no preço da gasolina nas refinarias, após 18 dias sem reajustar o valor do litro do combustível por conta da pressão dos caminhoneiros e a intervenção de Bolsonaro . A alta equivale a um reajuste de 2,046% em relação ao preço médio anterior, de R$ 1,9354.

O novo valor médio passa a ser o maior desde outubro do ano passado, quando o litro da gasolina nas refinarias da Petrobras era comercializado a R$ 1,9855. Segundo a estatal, o reajuste segue a tendência de alta do mercado internacional.

Na véspera, a estatal havia anunciado também uma  transformação na forma de divulgação dos preços dos combustíveis . A Petrobras  passará a publicar em seu site os valores dos combustíveis em todos os seus pontos de venda, e não mais a média, como era feito anteriormente. "A Petrobras está fortemente comprometida com a transparência e repudia práticas monopolistas", disse a empresa em nota.

As mudanças anunciadas pela empresa surgem como possíveis soluções para o atrito gerado após o presidente da República, Jair  Bolsonaro  (PSL), ter pedido informações sobre o reajuste de preço do diesel e as negociações entre governo e os caminhoneiros.

Também nesta terça-feira, uma  reunião entre o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, representantes dos caminhoneiros e integrantes da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) inibiu o risco de uma nova greve dos caminhoneiros neste mês de abril.