Tamanho do texto

Maioria dos brasileiros pretende passar o Natal em casa ou com os pais, e os gastos da ceia serão divididos; confira os aumentos de cada produto em 2018

Ceia de natal está 6,82% mais cara em 2018 na comparação com o ano passado
Reprodução/EPTV
Ceia de natal está 6,82% mais cara em 2018 na comparação com o ano passado

A ceia de Natal será mais cara em 2018 do que foi no ano passado. Um levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) revela que os produtos que compõem a lista de itens ficaram 6,82% mais caros na comparação anual.

Leia também: Já garantiu o presente de Natal? Preços ficam 12,6% mais caros antes da data

O percentual de 6,82% de aumento dos itens da ceia de Natal ficou acima do inflação deste ano, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor da FGV (IPC/FGV), entre janeiro e dezembro de 2018, que é de 4,09%.

Os produtos que mais subiram de preço foram também os que sofreram mais influência pela alta do dólar neste ano, segundo explica o economista responsável pela pesquisa, André Braz.

Entre os maiores aumentos dos produtos que devem ser usados na preparação da ceia de Natal , cebola, farinha de trigo e bacalhau se destacam, com os três maiores aumentos, de 26,99%, 19,65% e 18,55%, respectivamente.

Confira a variação dos principais produtos da ceia de Natal entre 2017 e 2018

  • Cebola: 26,99%
  • Farinha de trigo: 19,65%
  • Bacalhau: 18,55%
  • Batata-inglesa: 10,01%
  • Frutas: 8,41%
  • Frango: 8,20%
  • Maionese: 7,37%
  • Arroz: 7,20%
  • Azeite: 4,03%
  • Vinho: 2,01%
  • Couve: 0,28%
  • Óleo de Soja: -1,37%
  • Ovos: -3,41%
  • Lombo suíno: -6,15%
  • Pernil suíno: -8,42%

Leia também: Dezembro tem inflação negativa e menor valor para o mês desde o Plano Real

Quanto custa a ceia de Natal para o brasileiro?

Maioria dos brasileiros deve dividir os gastos da ceia de Natal, segundo CNDL/SPC Brasil
Fernando Frazão/Agência Brasil
Maioria dos brasileiros deve dividir os gastos da ceia de Natal, segundo CNDL/SPC Brasil

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) realizaram levantamento que aponta um aumento de 45% na intenção de gastos dos brasileiros na comparação com 2017, já descontando os efeitos da inflação.

No ano passado, o gasto foi, na média, de R$ 136,52. Em 2018, portanto, o consumidor deve desembolsar, em média, R$ 207,27 com os preparativos da ceia ou almoço de Natal. 39% ainda não haviam decidido ou não sabiam quanto iriam gastar.

Os dados revelam que metade (48%) dos entrevistados pretende celebrar a data em casa, além de 34% que devem passar a data com os pais ou outros parentes. Sobre os custos, 31% planejam dividir as despesas da festa compartilhando os custos entre os membros da família, enquanto outros 31% afirmaram que vão estipular que cada um leve um tipo de prato ou bebida diferente. Somente 13% disseram que vão arcar com todas as despesas, um aumento de 4,6 pontos percentuais em relação a 2017. Entre os homens, esse número sobe para 19%.

Leia também: 18% dos produtos vendidos na Black Friday tiveram aumento de preço antes da data

Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil, destaca a importância de ter planejamento de gastos com a ceia de Natal para evitar dor de cabeça depois. “Dividir as despesas é uma estratégia interessante, ao evitar que os custos sobrecarreguem o bolso de uma única pessoa. Outra dica é pesquisar bem os preços e, se possível, sair de casa com uma lista incluindo todos os itens”, orienta.