Tamanho do texto

Leilão de privatização deveria acontecer na quinta-feira (25); é a segunda vez que a distribuidora mais endividada da Eletrobras tem a data adiada. Confira

Leilão da Amazonas Energia, uma das distribuidoras da Eletrobras, foi adiado pela segunda vez
Divugação
Leilão da Amazonas Energia, uma das distribuidoras da Eletrobras, foi adiado pela segunda vez


O leilão da Amazonas Energia, uma das distribuidoras da Eletrobras, foi adiado para 27 de novembro, segundo informações divulgadas nesta terça-feira (23) pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A tentativa de venda aconteceria na próxima quinta-feira (25).

Leia também: Maioria das privatizações previstas por Temer não sairá do papel neste ano

Essa é a segunda vez que a empresa tem seu leilão adiado. De acordo com a estatal, além de servir para últimas negociações de garantias com fornecedores de combustíveis, a troca da data do leilão das distribuidoras da Eletrobras foi um pedido feito ontem (22) pelo Ministério de Minas e Energia (MME).

Na última quarta-feira (18), o ministro do MME, Moreira Franco havia decidido manter o leilão após o Senado derrubar o projeto que facilitava a privatização das distribuidoras de energia da Eletrobras por 34 votos a 18. Como justificativa para manter o leilão , Franco disse que o projeto barrado não servia para autorizar a venda, mas sim para criar “mais atrativos” para os possíveis interessados.

Entre as distribuidoras da Eletrobras, Amazonas Energia é a com mais dívidas

Wilson Ferreira Júnior, presidente da Eletrobras, diz que Amazonas Energia pode ser liquidada. Ela é uma das distribuidoras da Eletrobras mais endividadas
Cristina Indio do Brasil/Agência Brasil
Wilson Ferreira Júnior, presidente da Eletrobras, diz que Amazonas Energia pode ser liquidada. Ela é uma das distribuidoras da Eletrobras mais endividadas


A Amazonas Energia é considerada a mais endividada das distribuidoras da estatal. De acordo com Wilson Ferreira Júnior, presidente da Eletrobras, as contas a pagar alcançam a casa de R$ 20 bilhões, dos quais cerca de R$ 15 bilhões irão diretamente para a Petrobras.

O tamanho das dívidas põe em dúvida a possibilidade de venda durante o leilão de privatização. Por esse motivo, Ferreira Júnior anunciou, na quinta-feira passada (18), a  possibilidade de liquidar a Amazonas Energia caso não seja vendida - ou seja, o encerrar as atividades da distribuidora. “A decisão pela liquidação já foi tomada em assembleias anteriores”, disse. “E, em caso de liquidação, a Eletrobras terá garantida a neutralidade econômica das despesas com a Amazonas Energia.”

Outras distribuidoras já foram leiloadas

Das seis distribuidoras da Eletrobras, quatro já foram leiloadas
Divulgação/Ministério do Planejamento
Das seis distribuidoras da Eletrobras, quatro já foram leiloadas


Leia também: Eletrobras cai mais de 10% após declaração de Bolsonaro contra privatização 

Das seis distribuidoras da Eletrobras , quatro já foram leiloadas: a Companhia Energética do Piauí (Cepisa) teve o contrato de concessão assinado no último dia 18, depois de ter sido vendida em julho. Já a Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre), a Boa Vista Energia, de Roraima, e a Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron) foram leiloadas em agosto. A Companhia Energética de Alagoas (Ceal), no entanto, está com a venda suspensa por uma liminar do Supremo Tribunal Federal (STF).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.