undefined
Creative Commons
Crescimento no setor de serviços em São Paulo acompanha a tendência nacional de agosto

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) divulgou dados que mostram crescimento no setor de serviços no Estado de São Paulo e a geração de 20.964 empregos formais no mês de agosto.

Leia também: Setor de serviços cresce 1,2% em agosto e tem menor queda anual desde 2015

O número representa o melhor resultado em crescimento no setor de serviços do mês desde 2014 e quase dobra o valor obtido no mesmo período do ano passado. No âmbito nacional, não é diferente. O setor foi o que mais cresceu no mês de agosto, com 1,2% de aumento – a queda anual é a menor desde 2015 no Brasil.

Apesar dos números positivos e o otimismo do mercado, a entidade prega cautela aos empresários na hora de contratar e aos trabalhadores com seus gastos nesse final de ano, pois, por mais que haja crescimento recente na economia, o momento ainda é de incertezas.

Segundo o levantamento, o setor educacional lidera a lista como maior gerador de empregos: houve preenchimento de 8.273 vagas, muito em função do início do segundo semestre letivo. Na sequência, vem os serviços médicos, odontológicos e sociais, que empregaram 3.523 no Estado. 

Levando em conta os oito meses do ano (os dados vão até agosto), 131 mil vagas foram preenchidas no setor de serviços paulista. A educação lidera também, com 30.468 vagas; na sequência serviços médicos, odontológicos e sociais, 24.234 vagas; e administrativos, 23.917 vagas. No total, o número de empregos no Estado de São Paulo passa a ser superior a 7,4 milhões. O avanço é de 1% em relação a agosto do ano passado, segundo a FecomercioSP .

Leia também: Mercado reduz em R$ 4 bilhões previsão de rombo nas contas do governo para 2018

Crescimento no setor de serviços por região

undefined
Marcos Elias de Oliveira Júnior/Wikipedia
Crescimento no setor de serviços por região no Estado de São Paulo (mapa)




A região da capital paulista, que concentra mais de 32 milhões dos cerca de 44 milhões de paulistas, gerou 8.178 empregos no mês de agosto e teve o melhor desempenho, seguido pelas regiões de Campinas e Ribeirão Preto. A única região que registrou maior número de desligamentos do que de admissões foi a de Presidente Prudente, com redução de 156 vagas.

Leia também: Comércio e serviços devem gerar 59 mil empregos até o fim de ano, diz CNDL

De acordo com a FecomercioSP, apesar do crescimento no setor de serviços ter sido registrado no Estado e no País, o momento exige cautela. É preciso que a demanda cresça e se consolide melhor para que os empregos aumentem de forma estável. Os números divulgados expõem, segundo a federação, o processo de recuperação das quase 240 mil vagas perdidas entre 2015 e 2016 em São Paulo.

    Veja Também

      Mostrar mais