Tamanho do texto

Segundo IBGE, transportes foi o segmento com maior crescimento em agosto; se comparado ao mesmo período do ano passado, a alta foi de 1,6%

Setor de serviços cresceu 1,2% em agosto, diz IBGE
shutterstock
Setor de serviços cresceu 1,2% em agosto, diz IBGE


O setor de serviços do Brasil cresceu 1,2% na comparação de julho com agosto, de acordo com a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgada nesta terça-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Leia também: IBGE: setor de serviços fecha 2017 com queda de 2,8% 

Segundo o gerente da PMS, Rodrigo Lobo, a melhora no índice  da quantidade de serviços prestados faz com que o campo alcance exatamente o mesmo patamar em que encerrou o ano de 2017, também próximo ao crescimento de 1%. “Quando a gente olha para o setor de serviços dentro do ano de 2018, com os crescimentos e as quedas, é como se ele não tivesse variado”, explica.

O relatório revela que o avanço de 1,2% foi registrado em três dos cinco tipos de serviços pesquisados, puxado principalmente pelos serviços de transportes, armazenagem e correios, que tiveram aumento de 3,2%, e seguidos por serviços profissionais e administrativos, com 2,2%, e outros serviços, 1%.

Os serviços de informação e comunicação e prestados à famílias apresentaram queda de 0,6% e 0,8%, respectivamente.

Setor de serviços é o que mais cresceu em agosto

Setor de serviços ainda é impactato pela greve dos caminhoneiros, que atingiu o Brasil em maio
Tomaz Silva/Agência Brasil
Setor de serviços ainda é impactato pela greve dos caminhoneiros, que atingiu o Brasil em maio


A surpresa fica no crescimento do setor de transportes , que recuperou parte considerável da queda de 3,9% registrada na comparação de junho com julho. Para Lobo, a melhora do número se deve ao aumento do volume de serviços do transporte rodoviário de carga, principal item desse segmento, e a ampliação também da locomoção aérea. “Esse crescimento do transporte aéreo foi motivado por uma deflação da passagem aérea, que acaba aumentando o volume de serviços”, afirmou.

O gerente ressalta, ainda, a importância do resultado da PMS em relação à greve dos caminhoneiros , que atingiu o País em maio. Na época, o setor de serviços “havia mostrado um recuo de 3,4%; já em junho apresentou um crescimento mais intenso (4,9%); em julho, teve alguma devolução (- 2,0%) e agora em agosto voltou a crescer”.

Com isso, o volume de serviços realizado em agosto ficou 06% acima do registrado em abril, último índice recolhido antes da greve dos caminhoneiros.

Com esse resultado de agosto, o setor ficou 11,5% abaixo do ponto mais alto da série histórica da pesquisa, que foi registrado em novembro de 2014. A PMS começou a ser divulgada em janeiro de 2012.

Mais números da Pesquisa Mensal de Serviços

Em relação a agosto de 2017, setor de serviços cresceu 1,6%
Divulgação/Sebrae-SP
Em relação a agosto de 2017, setor de serviços cresceu 1,6%


A Pesquisa Mensal de Serviços realizou comparações com outros períodos. Quando visto em relação a agosto do ano passado, o setor teve alta de 1,6%, a terceira taxa positiva de 2018 nesse tipo de confronto.

Leia também: Comércio e serviços devem gerar 59 mil empregos até o fim de ano, diz CNDL 

O acumulado do setor de serviços no ano registrou baixa de 0,5%. Já quando pensada nos últimos 12 meses, a queda foi de 0,6% — a menos negativa desde junho de 2015, quando diminuiu apenas 0,2%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.