Tamanho do texto

Acordo foi fechado por Dyogo Oliveira e Michel Sapin; primeira reunião entre representantes dos países já está marcada para o mês de junho

Acordo entre Brasil e França visa fortalecer a infraestrutura de ambos os países
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Acordo entre Brasil e França visa fortalecer a infraestrutura de ambos os países

Um acordo para fortalecer a cooperação em infraestrutura entre Brasil e França e promover investimentos foi assinado pelos dois países nesta sexta-feira (31). Os responsáveis por firmar a medida foram Dyogo Oliveira, ministro do Planejamento brasileiro, e Michel Sapin, ministro da Economia e Finanças do país europeu.

Leia também: Setor público registra maior deficit da história para meses de fevereiro

A primeira reunião entre representantes do Brasil e da França já está marcada para o próximo mês de junho. O encontro servirá para que o grupo faça uma discussão sobre projetos desenvolvidos em conjunto.

“É um acordo que pode contribuir de forma significativa para o desenvolvimento da infraestrutura no Brasil, particularmente por meio de parceria público-privada, o que no exterior envolve também concessão e autorização”, afirmou Dyogo Oliveira.

Leia também: Abril terá bandeira tarifária vermelha e conta de luz mais cara

Segundo o ministro francês, a implementação de novas infraestruturas pode ser considerada como um fator decisivo para o crescimento de ambos os países. “O mundo só vai retomar um crescimento sólido se tivermos condições de fortalecer nossas infraestruturas. As trocas em torno da parceria público-privada, objeto do acordo que assinamos, permitirão encontrar boas modalidades de financiamento para implementar infraestrutura útil para os dois países", disse. Sapin cumpre agenda oficial em Brasília. O ministro francês também vai a São Paulo e Minas Gerais.

Acordo entre Mercosul e União Europeia

Sapin também defendeu a definição do acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia o mais rápido possível. “O acordo entre a União Europeia e o Mercosul é de grande importância para nós. Num primeiro momento existem, talvez, interesses diferentes. O Brasil tem que se preocupar com o futuro da sua indústria e é legítimo que a Europa também se preocupe com sua agricultura, mas não há solução com isolacionismo”, observou.

Leia também: Imposto de Renda: apenas um quarto dos contribuintes já enviou declaração

O ministro da França afirmou ainda que, no atual contexto mundial, marcado pela eleição do novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é preciso reafirmar a necessidade de um diálogo multilateral internacional. Segundo Sapin, um acordo entre a União Europeia e o Mercosul seria a melhor resposta aos que promovem o isolacionismo.