Tamanho do texto

Segundo especialista, modelo estimula o crescimento organizacional e está baseado em relacionamento de colaboração entre empresas independentes

Estratégias que permitam responder às mudanças internas e externas são cada vez mais buscadas por empresas. Para ultrapassar concorrentes e obter retorno do capital, é necessário criar planos consistentes com objetivos bem definidos e que possam ser agressivos e maduros os suficiente para identificar oportunidades de negócio antecipadamente. Entre as estratégias mais utilizadas está a adoção do modelo de franquia.

LEIA MAIS: Receita do setor de franquias tem crescimento de 8,3% no Brasil em 2016

Segundo Elaine Bezerra, diretora da Troow Gestão & Franchise, rede de consultoria para empresas, a franquia é um modelo de negócio que estimula o crescimento organizacional. "Pode ser entendida como um sistema de distribuição de produtos, serviços e/ou tecnologias, com base em um relacionamento de colaboração entre empresas jurídica e financeiramente distintas e independentes", explica. "Isso, pois, o franqueador e suas franquias são individualizados e conseguem obter crescimento com custos baixos de operação e expansão".

De acordo com Elaine Bezerra, empresário que deseja tornar negócio uma franquia precisa fazer estudo prévio
Divulgação
De acordo com Elaine Bezerra, empresário que deseja tornar negócio uma franquia precisa fazer estudo prévio

LEIA MAIS: Entenda por que as empresas devem ficar atentas ao direito à desconexão

A grande questão, segundo ela, é que, quando um empresário decide levar sua empresa para este modelo, é preciso ter em mente a necessidade de realizar um estudo prévio de maneira estratégica. Elain recomenda a atenção com cinco passos principais, capazes de demonstrar se a marca é forte o suficiente para ser replibcada em outras unidades.

As barreiras de entrada

Estas são nada mais que um cojunto de reações que o empreendedor pode esperar ao ingressar em um novo negócio. Segundo Elaine, "é fundamental que o negócio esteja vinculado aos fatores de entrada no mercado e que sejam capazes de superar as principais barreiras". Entre elas, estão:

  • Financeiras : considerada uma das mais críticas, pois os custos de investimento e operação iniciais são elevados. É necessário ter uma estrutura financeira para arcar com o projeto, além de ser capaz de, com o futuro lucro ou prejuízo, se decidir por investir ou não no projeto.
  • Técnicas : fator fundamental para desenvolver o negócio, já que os itens produzidos exigem elevado conhecimento e muitas vezes a aplicação de tecnologias, padronização e aprimoramento contínuo;
  • Legais : para atingir seus objetivos, é necessário que o empreendimento esteja alinhado aos aspectos legais brasileiros e possa ser aprovado pela fiscalização governamental.

Antes de tomar qualquer decisão, é crucial conhecer esses fatores e saber como responder a cada um eles. A expansão por meio de franquias pode ser interessantes, mas é importante lembrar que esses mercados não são, definitivamente, feitos para amadores ou empreendedores aventureiros.

Atratividade do produto

Elaine lembra que é inquestionável o fato de que o produto precisa ter a demanda do mercado, um diferencial competitivo dentro de seu mercado de atuação, atenda às necessidades de seu público-alvo com qualidade, possua um preço adequado, além da devida proteção aos serviços oferecidos.

Comunicação satisfatória

Todo o processo de comunicação dentro do negócio só é satisfatório se atender a alguns requisitos, como ter um objetivo bem estabelecido, saber o que deseja comunicar, entender a relevância da informação transmitida, utilizar técnicas e métodos para tornar a comunicação mais eficaz e avaliar o impacto de uma determinada mensagem para o público.

LEIA MAIS: Conheça sete características que todo líder de empresa precisa desenvolver

A executiva afirma que uma estratégia de comunicação adequada entre os membros da organização permite criar boas práticas que serão importantes em um futuro relacionamento franqueador e franqueado. Desta forma, é possível manter a atenção em resultados e soluções operacionais que ajudem a aprimorar a rede.

Uma marca forte

A marca deve ter a capacidade de distinguir um produto ou serviço de outros com características iguais ou similares, além de passar ao consumidor sinais importantes, como segmentação no mercado, garantia de qualidade e indicador de origem, por exemplo. Características como estas permitem agregar valor à empresa, dando a ela ferramentas de competitividade, incrementando o valor de seus ativos e facilitando as transações comerciais.

Conhecimento dos Riscos

Os riscos inerentes da operação estão relacionados à rentabilidade, ao sistema de contratos, relacionado à maneira como a marca é utilizada, e aos estudos prévios, isto é, uma pesquisa aprofundada sobre o fluxo de caixa e dos comprometimentos das partes envolvidas com a marca. A realização de uma pesquisa permite chegar a uma decisão definitiva sobre a possibilidade de expandir uma empresa pelo modelo de franquia.

    Leia tudo sobre: Empreendedorismo
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.