Homenagem a líder da Telexfree no Senado é cancelada

Por Vitor Sorano - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Sanderley Rodrigues, investigado nos EUA, receberia medalha de personalidade do ano de associação particular

Uma homenagem em salão nobre do Senado Federal ao principal líder da Telexfree, empresa acusada no Brasil e nos Estados Unidos de ser uma pirâmide financeira bilionária, foi cancelada nesta quinta-feira (29), horas antes de ser realizada.

A honraria seria concedida a Sanderley Rodrigues de Vasconcelos, conhecido como Sann Rodrigues, que  teve recursos congelados quando a Justiça americana bloqueou os bens da Telexfree. Em 2006, o brasileiro já havia sido acusado de liderar uma outra pirâmide financeira nos EUA.

LEIA TAMBÉM: 'Hoje sou uma vítima da Telexfree', diz líder da empresa

Nesta quinta-feira (29), Rodrigues iria receber o prêmio de personalidade do ano em marketing multinível durante o evento Tributo ao Imigrante, organizado pelo Centro de Integração Cultural e Empresarial de São Paulo (Cicesp), uma entidade privada presidida por Regino Barros.

O uso do salão foi reservado pelo senador Cícero Lucena (PSDB-PB), cujo gabinente informou desconhecer a presença de Rodrigues na lista de homenageados.

Marketing multinível seria disfarce

Durante o evento, no Auditório Petrônio Portella do Senado, Sanderley Rodrigues seria ainda nomeado conselheiro da Agência Reguladora de Marketing Multinível do Brasil (Aromm), comandada também por Barros. Apesar do nome, a Aromm não é um braço do governo.

Para as autoridades norte-americanas e brasileiras, a Telexfree usou o marketing multinível – um modelo de varejo legal baseado em redes de vendedores autônomos — como mera fachada para montar a pirâmide financeira. Os representantes da empresa sempre negaram irregularidades.

"[Rodrigues] foi o maior líder da maior empresa que incluiu gente no marketing multinível", afirmou Regino Barros ao iG, antes do cancelamento o evento. "Estudei muito a postura dele junto a seus comandados, a condução dele de 1,6 milhão de pessoas espalhadas por 120 países."

Questionado sobre o fato de Rodrigues ser investigado nos EUA, Ramos disse que "não deveríamos crucificar antes que tivéssemos sob a luz da lei."

Rodrigues afirmou, também antes do cancelamento, que começou a divulgar por acreditar que se tratava de um negócio legítimo. O profissional ainda discorda da acusação de que a empresa é uma pirâmide.

"Eu devo ter acima de US$ 1 milhão [bloqueados] no meu escritório virtual", diz ele. "Eu estou trabalhando para montar uma associação das vítimas."

Veja abaixo alguns dos principais personagens do negócio Telexfree:

Carlos Roberto Costa, diretor da Telexfree e principal nome da empresa no Brasil. Foto: ReproduçãoJames Matthew Merrill  e Carlos Nataniel Wanzeler, 2º e 3º da esquerda para a direita, fundadores da Telexfree. Foto: Divulgação/Botafogo/Vitor Silva/SSPress Katia Wanzeler, mulher de Carlos Wanzeler, chegou a ser detida nos EUA como testemunha relevante do caso Telexfree. Foto: Reprodução/FacebookSecretário de Estado de Massachusetts, William F. Galvin; órgão foi responsável por declarar Telexfree uma pirâmide financeira. Foto: Stephen Crowley/The New York TimesSanderley Rodrigues de Vasconcelos, premiado em 2013 como o maior divulgador da Telexfree. Foto: Arquivo pessoalPelé Reis recebe cheque simbólico de R$ 3 milhões Telexfree em 2012: após bloqueio passou a promover BBom. Foto: ReproduçãoMarcus França recebe cheque simbólico de R$ 2 milhões da Telexfree em 2012:  após bloqueio, passou a promover Paymony. Foto. Foto: ReproduçãoMisael Martins recebe cheque simbólico de R$ 3 milhões da Telexfree em 2012: após bloqueio, passou a promover One Thor. Foto: ReproduçãoJanio Ariel recebeu cheque simbólico de R$ 3,6 milhões da Telexfree em 2012: após bloqueio, passou a promover Luvre. Foto: Reprodução/FacebookAtor Sandro Rocha, que deixou a Telexfree em 2013, após as primeiras acusações de que a empresa é uma pirâmide financeira. Foto: Divulgação'Sanderley Rodrigues, apontado como top divulgador em frente à sede da Telexfree nos Estados Unidos . Foto: ReproduçãoJames Merrill, diretor da Telexfree. Foto: Reprodução


Gabinete de senador diz desconhecer lista de homenageados

O evento foi cancelado após o iG entrar em contato com o gabinete do senador Cícero Lucena (PSDB-PB), que havia feito a solicitação de reserva do auditório Petrônio Portella do Senado a pedido de Regino Barros.

Um assessor do gabinete informou que essas solicitações são comuns e que os senadores não participam da elaboração da lista.

Após o cancelamento, Barros disse lamentar a retirada de Rodrigues da lista de homenageados.

"Eu não quero criar constrangimento para os meus pares no Congresso", afirmou sobre a decisão de não mais nomear Rodrigues como conselheiro da Aromm.

Rodrigues afirmou que não tinha conhecimento do cancelamento.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas