Brasil Econômico

Rodrigo Maia, Samuel Moreira, Alexandre Frota e Carlos Sampaio
Pablo Valadares/Câmara dos Deputados - 27.06.19
Maia anunciou retorno da comissão especial da Previdência na próxima terça-feira (2)

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quinta-feira (27), após adiamento de reunião da comissão especial que deveria encerrar as discussões e encaminhar a votação no colegiado, que os trabalhos serão retomados na próxima terça-feira (2).

Leia também: Governo busca liberar R$ 10 milhões por deputado pela Previdência, diz jornal

Maia  se reuniu com líderes partidários nesta quinta, na residência oficial, para discutir a próxima etapa de análise da proposta, que trata o parecer apresentado pelo relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), e acerta os últimos detalhes antes do início da votação no colegiado. A ideia do presidente da Câmara é encerrar os trabalhos da comissão na próxima semana e levar a proposta ao plenário para que seja possível a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019 na Casa antes do recesso parlamentar, que começa em 18 de julho.

Um dos entraves para a tramitação da reforma é a inclusão ou não de estados e municípios na reforma. Maia, defensor da participação dos entes federativos, disse que se reunirá, também na terça (2), com governadores para definir a questão. Segundo o deputado, independentemente do resultado, a comissão especial será retomada no período da tarde, para a leitura do voto complementar de Samuel Moreira .

"Os governadores ainda não fizeram uma conversa definitiva", afirmou Maia, que complementou dizendo  que "Torço e rezo todos os dias para que tenhamos esse assunto encerrado na terça". O presidente da Câmara diz que o relatório está "90% concluído", e sustenta que o governo já tem 320 votos favoráveis no plenário. Ele teme, no entanto, que a inclusão de estados e municípios possa reduzir esse número.

Leia também: Quase metade dos brasileiros é contra a reforma da Previdência, diz Ibope

"Se os deputados mais próximos ao governadores declararem votos, vamos conseguir um ambiente com muito votos", defendeu Maia, ao lado do relator da proposta, que fez um apelo pela inclusão dos entes, argumentando que "Vale a pena esperar a reunião de terça-feira", já que "há uma expectativa no Brasil para que Estados e municípios entrem na reforma". "Vamos trabalhar pela inclusão sem prejuízo para o cronograma neste primeiro semestre", completou Moreira.

Maia defende mais união e menos atritos envolvendo o governo

Segundo o presidente da Câmara, os debates sobre a reforma da Previdência são suprapartidários. "O que gente não pode é obstruir a votação sem nenhum tipo de motivação, até porque nosso diálogo hoje é com todos os governadores e todos os partidos então há um diálogo na reforma que é suprapartidário", defendeu.

Leia também: Senado aprova teto de renda mais alto para concessão do BPC

"Precisamos que a equipe econômica volte a nos ajudar como nos ajudou até a apresentação do relatório, até ali nosso trabalho em conjunto era muito forte. Precisa voltar a ser assim. Como eu disse, o sapo morre pela boca, quero dizer, o peixe", afirmou Maia, cobrando união entre equipe econômica e Câmara.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários