Tamanho do texto

Rede criada em 2005 adotou o modelo de franquias sete anos depois. Hoje, conta com 20 lojas e meta é alcançar 30 unidades

A carreira de Rafaella Giraldi começou cedo, aos 16 anos, como operadora de telemarketing. Seu objetivo, no entanto, era ser empresária do ramo da educação. Devido ao bom desempenho no emprego, em apenas cinco meses recebeu sua primeira promoção, e passou a supervisionar uma equipe de operadores. Com o passar dos anos, o sonho de Rafaella tomou forma. O projeto se concretizou em 2005 com a criação da rede de cursos profissionalizantes MacPoli.

Rafaella Giraldi abriu a primeira unidade da MacPoli em Vinhedo, interior de São Paulo, em 2005
Divulgação
Rafaella Giraldi abriu a primeira unidade da MacPoli em Vinhedo, interior de São Paulo, em 2005




A primeira unidade da escola foi implantada na cidade de Vinhedo, no interior de São Paulo. O dinheiro para o investimento, no valor de R$ 98 mil, veio do bolso da empresária.

“Não tive nenhum investidor. Guardava mil reais por mês para poder investir na escola, meu sonho sempre foi ter a minha empresa”, lembra.

Em 2012, com três unidades próprias, todas no interior de São Paulo, decidiu aderir ao modelo de franquias. Hoje são 20 lojas, presentes também na Grande São Paulo, Minas Gerais, Sergipe, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal. Recentemente foi fechado um contrato em São Luís.

A escola oferece cursos de administração (gestão de recursos humanos, gestão empresarial e liderança, gestão de qualidade e logística empresarial), línguas (inglês e espanhol), informática (hardware, excel, games, autocad e web design) e preparatórios para o Enem e concursos públicos.

A MacPoli aposta em três modelos de negócio. O licenciamento pede um investimento de R$ 20 mil e é para quem já possui uma escola e quer ter mais opções de cursos. O Plus comercializa todos os cursos, com exceção dos de informática e o investimento é de R$ 70 mil. A Franquia Premium inclui os cursos de computação e é preciso R$ 130 mil para esse modelo. Para todos os franqueados é oferecido um treinamento de uma semana na matriz da empresa, em Vinhedo.

O público das escolas é predominante da classe C e são pessoas que “não tiveram oportunidade de fazer uma faculdade e buscam qualificação profissional”, segundo a empresária. Rafaella conta que os cursos mais procurados pelos jovens são os de línguas e informática, e para quem já passou dos 30 anos o foco é na gestão empresarial.

A empresária espera crescer no período de crise e fechar 2016 com pelo menos 30 franquias, aumentando o faturamento em 20%. Para ampliar a rede ela aposta na inclusão de novos cursos no portfólio da MacPoli. “Estamos investimento em cursos profissionalizantes de estética, cabelereira, manicure e barbearia, que está na moda”, conta.

>> MAIS: Conheça as 20 maiores franquias do Brasil


Leia outras matérias sobre empreendedorismo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.