Tamanho do texto

Números do Banco Central indicam que taxa subiu 15,5 pontos percentuais em relação ao mês de novembro; taxa do crédito parcelado também cresceu

Brasil Econômico

Apesar da alta, juros totais do cartão de crédito tiveram queda de 163,1 pontos percentuais na comparação com 2016
Istockphoto
Apesar da alta, juros totais do cartão de crédito tiveram queda de 163,1 pontos percentuais na comparação com 2016

A taxa de juros regular do rotativo do cartão de crédito voltou a subir em dezembro. De acordo com dados divulgados nesta segunta-feira (29) pelo Banco Central, a taxa chegou a 233,8% ao ano no mês passado, com aumento de 15,5 pontos percentuais em relação ao registrado em novembro. A cobrança é feita aos consumidores que não pagam o valor integral da fatura do cartão.

Leia também: Projeção do mercado para o PIB cai e fica mais distante da meta do governo

O crédito rotativo total – regular e não regular – terminou dezembro com taxa de 334,6% ao ano. O resultado indica queda de 163,1 pontos percentuais na comparação com dezembro de 2016, quando a taxa anual era de 497,7%. A redução nos juros do  cartão de crédito  foi registrada após o Conselho Monetário Nacional (CMN) estabelecer, em janeiro de 2017, uma nova regra para instituições financeiras.

Leia também: Brasil fecha mais de 20 mil vagas de emprego com carteira assinada em 2017

A norma obriga as empresas a manterem por somente 30 dias no rotativo os consumidores que não conseguem pagar o valor integral da fatura. Depois desse período, eles devem ser transferidos para o crédito parcelado, que tem taxas de juros menores. Apesar disso, essa modalidade registrou alta em dezembro.

A taxa do crédito parcelado passou para 169,2% ao ano no período após alta de 0,7 ponto percentual. Em dezembro de 2016, a taxa era de 153,8% ao ano. Já a taxa de juros não regular do rotativo, voltada para quem não fez o pagamento, chegou a 401,4% ao ano em dezembro, com queda de 12,1 pontos percentuais em relação a novembro e de 118,3 pontos percentuais na comparação com dezembro de 2016, quando estava em 519,7% ao ano.

Taxa mensal

Em relação à taxa mensal, houve alta de 0,5 ponto percentual, passando para 10,6% ao mês. Na análisa do chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, o resultado foi influenciado pela entrada de duas ou três financeiras que oferecem o serviço a preços mais altos.

Leia também: Conta de luz fica mais cara para 4 milhões de paulistas; veja se você é um deles

"O que se observou é que teve novos participantes entrando no cartão de crédito rotativo, algumas financeiras que trabalham com taxas de juros mais elevadas que bancos. Os bancos permaneceram estáveis", afirma. A taxa de juros do cheque especial teve queda de 0,7 ponto percentual em dezembro, fechando o ano em 323% ao ano. No mesmo período do ano anterior, a taxa era de 328,6% ao ano.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.