Levantamento indica uma queda de 0,05% em relação ao resultado de 2016; Ministério do Trabalho comemorou "estabilidade" do mercado de trabalho

Brasil Econômico

Segundo o Ministério do Trabalho, o País fechou mais de 328 mil vagas de emprego formais em dezembro
EBC
Segundo o Ministério do Trabalho, o País fechou mais de 328 mil vagas de emprego formais em dezembro

O Brasil terminou 2017 com menos 20.832 vagas de emprego com carteira assinada, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta sexta-feira (26) pelo Ministério do Trabalho. O resultado indica queda de 0,05% em relação ao resultado de 2016, quando foram fechadas 1.326.558 postos de trabalho, e representa o terceiro ano seguido com saldo negativo.

Leia também: Conta de luz fica mais cara para 4 milhões de paulistas; veja se você é um deles

Apesar da queda no número de vagas de emprego, o governo comemorou o resultado, ao destacar a queda menor do que nos últimos anos. Em 2015, foram fechadas 1.534.989 postos de trabalho formais. O último ano com saldo positivo foi 2014, com a abertura de pouco mais de 420 mil vagas. Segundo o Ministério do Trabalho, os números de 2017 indicam estabilidade do emprego no país.

Leia também: Elas chegaram para ficar: conheça as fintechs, o futuro do setor financeiro

"Para os padrões do Caged, esta redução em 2017 é equivalente à estabilidade do nível de emprego, confirmando os bons números do mercado na maioria dos meses do ano passado e apontando para um cenário otimista neste ano que está começando", afirmou o ministro do Trabalho substituto, Helton Yomura.

No mês de dezembro, o País registrou o fechamento de 328.539 postos de trabalho, o equivalente a uma queda de 0,85% em relação ao estoque de vagas de dezembro. "O resultado de dezembro veio dentro das expectativas de mercado, que já esperava um saldo consolidado do ano próximo da estabilidade", disse o coordenador de Estatísticas do Trabalho do ministério, Mário Magalhães.

Brasil demite mais mulheres

Ainda de acordo com os dados do Caged, as mulheres foram mais prejudicadas com o fechamento de vagas de emprego, ao perderem 42.526 postos de trabalho. Ao mesmo tempo, os homens registraram saldo positivo, com 21.694 contratações. Em 2016, houve queda de 444.208 vagas de trabalho para as mulheres e de 882.350 vagas para homens.

O Ministério do Trabalho também divulgou os números de contratações e demissões segundo a idade. Os profissionais entre 50 e 64 anos foram os principais impactados, com menos 379.930 vagas. Em seguida, estão os trabalhadores com idade entre 40 e 49 anos (-206.624 vagas), entre 30 e 39 anos (-187.546 vagas), 65 ou mais (-65.656 vagas) e entre 25 a 29 anos (-4.994 vagas).

Leia também: Caixa desiste de usar dinheiro do FGTS que aumentaria capacidade de empréstimos

Ao mesmo tempo, os trabalhadores com idade entre 18 e 24 anos foram beneficiados com a criação de 652.734 vagas de emprego formais em 2017. O grupo de pessoas até 17 anos foi beneficiado com a abertura de 171.185 vagas.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.