Tamanho do texto

Proposta da Uber é usar a rede de entregadores para completar o trajeto

Entrega do McDonald's em drone do Uber Eats
Divulgação
McDonald's testa entrega de lanches em drones do Uber Eats

Há muito se discute o uso de drones para entregas, mas a realidade impõe barreiras quase intransponíveis. Como levar um pacote até um apartamento? O Uber Eats encontrou uma solução e anunciou, nesta quarta-feira (12), parceria com o McDonald's, em San Diego, na Califórnia (EUA), para testes do primeiro serviço comercial de entregas com drones em ambientes urbanos.

Leia também: Lojas vendem produtos “fora da caixa” com até 80% de desconto

Em testes anteriores, realizados por várias companhias, os drones se mostraram capazes de fazer entregas em subúrbios residenciais, com casas com quintais. O pouso direto no gramado ou o lançamento de caixas com paraquedas funcionam nestas configurações, mas não nos centros urbanos.

A proposta do Uber Eats é usar a rede de entregadores para completar a "última milha". Os drones decolam dos restaurantes, voam até um ponto de distribuição para que entregadores se encarreguem pelo transporte final até os clientes.

"Para os restaurantes e para os clientes, nada muda. Eles vão usar o aplicativo da mesma forma", afirmou Luke Fischer, diretor de Operações de Voo do Uber Elevate. "Os restaurantes terão sua área de entrega ampliada, atraindo mais consumidores", justificou.

Na visão da companhia, os pontos de distribuição serão carros circulando pelas cidades, com um código QR impresso no teto para o pouso dos drones. Os testes com o McDonald's já estão em andamento e novos restaurantes serão incluídos ainda neste ano.

O serviço é operado pela plataforma Elevate Cloud Systems, um sistema de gerenciamento do espaço aéreo que rastreia e guia todos os drones desde a decolagem até o pouso. Cruzando dados com a plataforma do Uber Eats, a companhia consegue encontrar os entregadores mais próximos do ponto de distribuição.

Leia também: Presente do Dia dos Namorados deve pesar menos no bolso neste ano, diz FGV

"Nós acreditamos que a Uber está em posição privilegiada para assumir esse desafio já que podemos acionar a rede de restaurantes e entregadores do Uber Eats, assim como a experiência em aviação da Uber Elevate", afirmou Fischer.

    Leia tudo sobre: Inovação