Tamanho do texto

Funcionária era chamada de "gerente Gabriela"; superior cantava a música tema da novela para sugerir incompetência

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) condenou o Bradesco a indenizar em R$ 30 mil, por assédio moral, uma profissional chamada de "gerente Gabriela" pelo superior hierárquico. O gerente regional referia-se aos versos da música Modinha para Gabriela ("Eu nasci assim, eu cresci assim e sou mesmo assim, vou ser sempre assim") para dizer que sua subordinada era incompetente para cumprir metas.

Processo traz relatos de testemunhas, além da autora da ação, que também sofriam o assédio
CHARLES SILVA DUARTE - 20.1.2011
Processo traz relatos de testemunhas, além da autora da ação, que também sofriam o assédio

No processo há relatos de testemunhas dizendo que o assédio envolveu vários gerentes, inclusive a que ajuizou a ação, e que o superior chegou a afirmar que "se o capim mudasse de cor, morreriam de fome". "Sua atitude era de contínua perseguição e prática reiterada de situações humilhantes e constrangedoras, caracterizando assédio moral", afirmou na decisão a relatora desembargadora convocada Vania Maria da Rocha Abensur.

No TST, o recurso do banco foi negado e a decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (RJ) foi reformada. A instância anterior tinha entendido que não houve nenhum ato ou fato atentatório à integridade moral da empregada, mesmo constando a alegação da funcionária de que havia cobrança excessiva pelo cumprimento de metas, "inclusive com ameaça de dispensa". "No caso, os depoimentos comprovam atos reiterados e abusivos por parte do superior hierárquico da gerente", completou a magistrada.

O Bradesco já recorreu contra a decisão por meio de embargos à Subseção 1 Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1). Procurado pelo iG , o banco não quis comentar a decisão.

*Com informações do TST

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas