Tamanho do texto

Nova moeda global deve ser lançada em 2020; a Libra servirá para transações e será integrada nas plataformas digitais da empresa

Mark Zuckerberg
Justin Sullivan/Getty Images
Mark Zuckerberg afirmou que pretende tornar mais fácil enviar e receber dinheiro

A empresa norte-americana Facebook anunciou oficialmente nesta terça-feira (18) a criação de sua própria criptomoeda, a Libra, que servirá para transações e será integrada em suas plataformas digitais, como WhatsApp e Messenger, além de um aplicativo independente. A ideia do CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, é "simplificar o mais possível as transações financeiras para todas as pessoas do mundo, onde quer que vivam, tenham ou não uma conta bancária".

Leia também: O Bitcoin pode chegar a U$ 1 milhão; especialista explica

"Com o Libra nós aspiramos tornar mais fácil para todos enviar e receber dinheiro, assim como usar nossos aplicativos para compartilhar instantaneamente mensagens e fotos", escreveu em uma publicação na rede social. A nova criptomoeda , que deve ficar disponível a partir de 2020, promete um sistema seguro de pagamento com base no blockchain , tecnologia que registra todas as operações virtuais mundo afora.

"Dinheiro móvel aumenta a segurança e isso é, particularmente, importante para as pessoas que não têm acesso a bancos tradicionais. Há cerca de um bilhão de pessoas que não têm conta bancária, mas têm um telefone celular", acrescentou Zuckerberg.

Leia também: Você tem criptomoedas? Saiba por que é importante guardá-las em carteiras

A gigante tecnológica ainda apresentou a participação de cerca de 30 empresas, como Visa, Mastercard, PayPal, Uber, Spotify e a operadora de telefonia Vodafone. De acordo com o Facebook , estes parceiros vão contribuir para a criação de um sistema "seguro, escalável e de credibilidade confiável".

Além disso, a empresa anunciou a subsidiária independente Calibra, que fornecerá serviços para enviar, gastar e armazenar a Libra por meio de uma carteira digital que estará disponível no WhatsApp, no Messenger e em um aplicativo independente, e "será regulada como outros provedores de serviços de pagamento".

"Com o tempo, esperamos oferecer mais serviços a pessoas e negócios, como pagar contas com um botão, comprar café escaneando um código ou usando o transporte público local sem ter que carregar dinheiro ou cartão", explicou Zuckerberg.

Leia também: “O blockchain será a nova internet”, diz empresário do criptomercado

A empresa ressaltou que promete adotar medidas para proteger a privacidade de todos os usuários da sua criptomoeda . "A não ser em casos específicos, a Calibra não dividirá informações de conta ou dados financeiros com o Facebook Inc. ou nenhum outro terceiro sem o consentimento do cliente", finalizou.

    Leia tudo sobre: Facebook