Tamanho do texto

Especialista em gestão, Eduardo Orfão dá dicas primordiais para sua empresa

Os princípios e práticas de boa Governança Corporativa aplicam-se a qualquer tipo de organização, independente do porte, natureza jurídica ou tipo de controle (3º setor, cooperativas, sociedades limitadas e sociedades anônimas).

Leia também: Empreender e Inovar - É preciso ter criatividade , foco e grandes ideias

Governança corporativa é primordial para todas as empresas
shutterstock
Governança corporativa é primordial para todas as empresas

Governança Corporativa é o sistema pelo qual as organizações são dirigidas, envolvendo os relacionamentos entre proprietários, Conselho de Administração, Diretoria e órgãos de controle.

As boas práticas de Governança Corporativa convertem princípios em recomendações objetivas, alinhando interesses com a finalidade de preservar e otimizar o valor da organização.

Desta forma, Transparência passa ser a palavra de ordem. Mais do que a obrigação de informar é o desejo de disponibilizar as partes interessadas, e aqui incluem-se os “agentes” acionistas, funcionários, investidores, bancos, clientes, fornecedores e etc.

Informações claras e objetivas que resultem em um clima de confiança, tanto internamente quanto nas relações da empresa com terceiros devem ser absoluta prioridade, portanto, não deve restringir-se ao desempenho econômico-financeiro, contemplando também demais fatores (Inclusive intangíveis) que norteiam a ação gerencial.

Leia também: Raio-x corporativo: Com que você gasta sua energia na empresa?

Sendo assim, normalmente os objetivos da Governança Corporativa são: Posicionar a empresa entre as “boas empresas” para se investir, envolver gestores e colaboradores na busca contínua dos processos que lhes são afetos, provocar a mudança de “Cultura”, onde todos entendam a real necessidade de Transparência , da ética de da busca por tudo que é virtuoso.

Governança Corporativa - Transparência, Princípios Éticos e Reputação

Os princípios éticos correspondem ao ambiente institucional informal estabelecido por “regras” que permitam a condução dos negócios de forma legal, transparente e com objetivos claros a serem atingidos. A reputação da empresa juntos aos “agentes” não se consolida apenas pela imagem que ela transmite aos mesmos, mas sim por um esforço coletivo (e aqui representa gastos/custos com a implantação) e uma apresentação clarificada do seu modelo de gestão. Desta forma, a reputação pode ser construída com palavras ou com ações, enquanto as palavras custam menos, as ações costumam ter mais impacto.

A Transparência na condução dos negócios implica em adoção de “gestão profissional” através da delegação (integral/parcial) criteriosa da gestão (sobretudo a gestão executiva) pelo controlador a profissionais experientes, motivados e intimamente comprometidos com as metas e resultados a serem alcançados, devendo ainda contribuir para a melhoria da imagem e do desempenho (fontes de fornecimento, escoamento da produção e margens de resultado) da organização, favorecendo sua longevidade, função social e, enfim, gerando maior valor aos acionistas.

Governança Corporativa como referência e modelo de Organização para empresas em crescimento

Você investiria seu dinheiro em uma empresa sem um modelo Transparente de gestão ?

Você confiaria em uma empresa que não apresenta de forma clara sua metas e objetivos a serem alcançados?

Leia também: Saiba como Empreender e ter Sucesso

Como citado, a Governança Corporativa é sinônimo de Transparência.  A implantação deste modelo de gestão implica em investimentos/custos elevados. Ressaltei no início que todas as empresas deveriam buscar este modelo, mas de acordo com a limitação financeira de cada uma, pelo menos devem buscar exemplos positivos de gestão que pavimentem o crescimento de sua empresa de forma sustentável e confiável, pois quando chegar o momento de consolidação de mercado e participação relevante no mesmo através do seu próprio crescimento, a Cultura da empresa já estará alinhada com as melhores práticas de Administração.