Paulo Guedes, ministro da Economia
Lorena Amaro
Paulo Guedes, ministro da Economia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quinta-feira (14) que o risco de recessão nos Estados Unidos e na Europa representa uma oportunidade de crescimento para a economia do Brasil, porque os investidores estão avessos a riscos no mundo. 

"Já se fala abertamente em recessão nos EUA, e inflação continua subindo nos EUA e na Europa. A inflação brasileira deve começar a descer. Se o momento é de emergência e difícil, há enorme oportunidade para economia brasileira", disse Guedes. 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Nas previsões do ministro, o fluxo de investimento estrangeiro deve crescer, com reconfiguração de cadeias produtivas globais, mas ressaltou que o processo eleitoral dificulta o crescimento. 

"Apesar do ambiente de guerra geopolítica, continuamos reaquecendo a economia", afirmou.

As declarações foram feitas durante a coletiva de divulgação do Boletim Macrofiscal , que revisou a expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,5% para 2%. Além disso, a previsão para inflação de 2022 caiu de 7,9% para 7,2%. A projeção para 2023, no entanto, manteve-se em 2,5%. 

No último relatório Focus, produzido por mais de cem analistas de mercado, estimaram uma alta de 1,59% para o PIB de 2022. Para 2023, a estimativa no Focus é de alta de apenas 0,50%.

O ministro também defendeu a PEC Kamikaze , aprovada pelo Congresso nesta quarta (13), e criticou organismos multilaterais por não conseguirem encerrar a guerra na Ucrânia.

"Quero tranquilizar os analistas preparados, que não estão politicamente enviesados, que o fiscal está forte e todas as medidas são temporárias. Não está previsto aumento permanente de despesas. Estou me dirigindo aos que são preparados tecnicamente e tenham paixão pelo Brasil, e não paixão por militância partidária", afirmou o ministro da Economia.

"Os caminhoneiros receberam ajuda, os taxistas receberam ajuda, os vulneráveis receberam ajuda, os idosos receberam ajuda nos transportes públicos, essa é a forma tecnicamente correta. São transferências diretas de renda, em vez de subsídios. Por isso é uma PEC das bondades, e não uma PEC kamikase, como alguns chamavam. Quem não tem preparo técnico não vai entender nunca a diferença", enfatizou.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários