Elon Musk
Lorena Amaro
Elon Musk

A montadora de carros elétricos Tesla, do bilionário Elon Musk , recebeu um processo nesta quinta-feira (30) de um grupo de 15 ex e atuais empregados que alegam racismo e assédio nas fábricas, informa a agência Reuters. A empresa sofre pelo menos dez outras acusações do tipo. 

Os funcionários dizem ter sofrido comentários discriminatórios dos colegas, superiores e dos recursos humanos da companhia diariamente. As acusações se concentram na planta de Fremont e foram registradas na Justiça da Califórnia.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Os relatos dizem que termos como "nigga", algo como "neguinho", no português, e "escravidão" eram corriqueiros, além de insinuações sexuais. 

Alguns dos queixosos foram designados para os cargos de maior demanda física, ou preteridos para promoção, de acordo com o processo.

Um dos casos cita um funcionário que foi imediatamente rebaixado na empresa após pedir licença para se tratar da Covid-19. 

À Reuters, a Tesla negou as acusações e disse que tem políticas em vigor para prevenir e abordar a má conduta no local de trabalho.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários