9 dos 11 conselheiros da Eletrobras renunciam
Ivonete Dainese
9 dos 11 conselheiros da Eletrobras renunciam

Neste sábado (18), a Eletrobras informou em  comunicado que nove dos onze membros do Conselho de Administração da empresa renunciaram para que os novos acionistas possam escolher a composição do quadro. A Eletrobras foi privatizada na última semana por R$ 33,7 bilhões.

"Resta evidente que cabe agora a este Conselho de Administração, após profundas e efetivas contribuições ao processo [de privatização], propiciar que a nova composição societária –definida sem a figura de um acionista controlador– venha a formatar um novo colegiado", disseram os 9 conselheiros em comunicado. 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

Deixarão os cargos:

  • Ruy Schneider;
  • Marcelo de Siqueira Freitas;
  • Bruno Eustáquio de Carvalho;
  • Ana Carolina Marinho;
  • Jeronimo Antunes;
  • Ana Silvia Corso;
  • Felipe Villela Dias;
  • Daniel Alves Ferreira;
  • Rodrigo Limp.

Limp é o presidente da estatal, e seguirá sendo, mas abriu mão da sua posição no Conselho. Os 9 integrantes manterão os cargos até a eleição dos substitutos na próxima Assembleia Geral Extraordinária, ainda sem data marcada.

Na carta de renúncia, os conselheiros disseram que a desestatização da empresa “trará novas oportunidades de investimento e de expansão de suas atividades”. Eles declararam que a decisão “trata-se de boa prática de governança corporativa e de justiça social, que os atuais conselheiros se orgulham em cumprir”. 

“Além disso, umas das vagas é ocupada pelos representantes dos empregados da Companhia, que possui processo de eleição em separado, de acordo com o Estatuto Social da Companhia, e que não apresentou renúncia”, completa a empresa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários