Uber perde ação na Suíça e precisa tratar motorista como empregado
Lorena Amaro
Uber perde ação na Suíça e precisa tratar motorista como empregado

A Uber perdeu um recurso na Suprema Corte da Suíça em que pleiteava anular a necessidade de cumprir obrigações trabalhistas para com os motoristas do aplicativo. A Justiça, no entanto, reconheceu o vínculo empregatício entre a empresa e os condutores. A informação foi divulgada pela agência Reuters.

"O tribunal não decidiu arbitrariamente quando decidiu que os motoristas da Uber que trabalham em Genebra tinham um vínculo empregatício com a Uber BV e ignora o recuso", diz a sentença.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

A empresa com sede na Califórnia enfrenta uma série de ações judiciais da mesma natureza pelo mundo sendo acusada de burlar os padrões nacionais de proteção ao trabalho e evitar negociações coletivas com motoristas que trabalham como autônomos.

A decisão exclui o serviço da Uber Eats que julgou procedente o fato de a empresa agir como um "serviço de recrutamento".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários