20,4 milhões estão em ocupações que podem ser realizadas remotamente
Agência Brasil
20,4 milhões estão em ocupações que podem ser realizadas remotamente

Cerca de 20,4 milhões de trabalhadores no Brasil estão em ocupações que podem ser realizadas de forma remota, segundo levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgado nesta sexta-feira (27). O número representa 24,1% do total de pessoas no mercado de trabalho atualmente.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

O estudo mostrou que são predominantes em ocupações que podem ser realizadas remotamente mulheres (58,3%), pessoas brancas (60%), com nível superior completo (62,6%) e na faixa etária entre 20 e 49 anos (71,8%).

O contigente de ocupações de teletrabalho potencial, isto é, que poderiam ser realizadas de forma remota, é maior na zona urbana (26,6%), revelou o Ipea. Ainda assim, há cerca de 650 mil pessoas em teletrabalho potencial no campo, o que corresponde a 6,4% do total de ocupados na zona rural.

Mais da metade dos brasileiros ocupados potencialmente em home office estão na região Sudeste (27,7%), seguida pelas regiões Sul (25,7%) e Centro-Oeste (23,5%). Nordeste e Norte têm os menores percentuais: 18,5% e 17,4%, respectivamente.

Mulheres são maioria em todos os estados

Em todas as unidades federativas, as mulheres são maioria no teletrabalho potencial. Esse resultado é mais acentuado em Roraima, Maranhão e Piauí, nos quais a participação feminina oscila entre 64% e 66%. Em contrapartida, Amapá, Santa Catarina e Ceará são os estados cujos resultados são mais equilibrados, com a participação feminina variando de 52% a 54%.

Pretos e pardos predominam no Norte e no Nordeste

Em muitas unidades federativas do Norte e Nordeste, o percentual de pretos e pardos no teletrabalho potencial passa de 70%. O destaque vai para o Amapá, com 80,5%.

Na região Sul, entretanto, em nenhum estado o total de pretos e pardos nessa situação é superior a 25%. O índice é pior em Santa Catarina (10,1%). 

Já no Centro Oeste e em alguns estados do Sudeste, a situação é intermediária: 60% e 46%, respectivamente, no Mato Grosso e em Minas Gerais, por exemplo.

Rendimento

Apesar de os brasileiros em ocupações passíveis de serem realizadas de forma remota representem 24,1% da força de trabalho, esses trabalhadores são responsáveis por 40,4% da massa de rendimentos total.

A maior parte desse montante vem do Sudeste, puxado principalmente pelo estado de São Paulo, que tem 47,6% do total de rendimentos efetivos gerados por pessoas em teletrabalho potencial.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários